UOL - O melhor conteúdo
Lupa
#LupaAqui: ‘A reincidência atinge mais de 70% dos presos no Brasil’?
12.07.2016 - 11h09
Rio de Janeiro - RJ
“A reincidência atinge mais de 70% dos presos no Brasil”. No dia 24 de junho, o leitor Almir Felitte procurou a Agência Lupa, propondo que essa informação fosse checada. Ele tinha lido esta frase numa reportagem do site R7 que atribuía o dado a autoridades como o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e o ex-ministro da mesma corte César Peluso.
A Lupa se interessou pelo assunto e foi atrás de dados. Descobriu que, em maio de 2012, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) celebrou um acordo de cooperação técnica com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) para que fosse realizada uma pesquisa sobre reincidência criminal. O resultado desse trabalho foi publicado no ano passado e expôs a fragilidade da frase proposta por Felitte para verificação. Um em cada quatro condenados reincide no crime: 24,4%
Antes de entrar nas conclusões do Ipea, é importante ressaltar que o instituto alerta para o fato de que há no Brasil pelo menos quatro interpretações possíveis para o conceito de “reincidência”. Entenda:
Por conta dessas quatro interpretações, há diversos números sobre “reincidência” circulando por aí. Veja abaixo um pequeno histórico de pesquisas:
EM 1989: Os pesquisadores Sérgio Adorno e Eliana Bordini fizeram um levantamento com todos os sentenciados libertados da penitenciária do estado de São Paulo entre 1974 e 1976. Eram 252 homens. A reincidência entre eles foi de 46,03%. Nesse trabalho, a dupla utilizou o conceito de reincidente penitenciário, ou seja, do sujeito que, tendo já cumprido pena, acabou sido recolhido novamente em estabelecimento penal.
EM 1991: Outro estudo produzido por Adorno e Bordini trabalhou com o conceito jurídico de reincidência criminal. A pesquisa utilizou como universo somente os detentos já condenados pelo sistema de justiça criminal paulista e chegou a uma taxa de reincidência de 29,34%.
EM 1994: O Censo Penitenciário Nacional daquele ano concluiu que 34,4% dos apenados eram reincidentes.
EM 1999: A pesquisadora Julita Lemgruber produziu um estudo no antigo Departamento do Sistema Penitenciário do Rio de Janeiro (Desipe). Acompanhou 8.269 homens e 251 mulheres presos, que representavam 5% do total de apenados do sistema prisional carioca. A taxa de reincidência penitenciária encontrada foi de 30,7% (31,3% para homens e 26% para mulheres).
EM 2001: O pesquisador Túlio Kahn produziu um estudo sobre reincidência penal para o estado de São Paulo e apontou que a taxa havia sido de 50% em 1994; 45,2% em 1995; e 47% em 1996.
No mesmo ano, o relatório de gestão publicado do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, citou que a reincidência criminal em 1 de janeiro de 1998 era de 70% e que sua meta era reduzi-la, até 2003, para 50%.
EM 2008: O relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do sistema carcerário utilizou essa informação. Em 2008, divulgou que a taxa de reincidência dos detentos chegava a 70% ou 80%, conforme a unidade da federação.
O QUE DIZ O IPEA
O instituto se debruçou sobre o dado do Depen – o mais recente e o que vem sendo fartamente usado por autoridades – e concluiu que “o conceito utilizado (nele) é bem amplo e considera, em verdade, a reincidência prisional como parâmetro de cálculo. Para o Depen, o indicador é definido como o número de reincidências sendo igual a presos recolhidos no ano com passagem anterior pelo sistema (condenados ou não). Ou seja, a porcentagem de 70% está sobrestimada pelos presos provisórios, que têm seu movimento influenciado pela atividade policial e que não necessariamente se convertem em condenações”. Em miúdos, o dado é exagerado.
Exagerado
Assim sendo, o instituto foi a campo e conduziu sua própria pesquisa. Estabeleceu que trataria a “reincidência em sua concepção estritamente legal, aplicável apenas aos casos em que há condenações de um indivíduo em diferentes ações penais, ocasionadas por fatos diversos, desde que a diferença entre o cumprimento de uma pena e a determinação de uma nova sentença seja inferior a cinco anos”.
Analisou 817 casos em cinco estados (AL, MG, PE, PR e RJ) e constatou que, entre eles, houve 199 reincidências criminais. Assim, a taxa de reincidência, calculada pela média ponderada, é de 24,4%. O número foi divulgado em 2015.
Na própria pesquisa, que ainda tabula resultados por idade, sexo, cor e raça e ocupação, o instituto se debruça sobre a frase sugerida por Felitte – e alvo desta checagem. Sobre ela, o Ipea diz o seguinte:
“Ainda são escassos no Brasil os trabalhos sobre reincidência criminal, o que colabora para que, na ausência de dados precisos, imprensa e gestores públicos repercutam com certa frequência informações como a que a taxa de reincidência no Brasil é de 70%, como afirmou recentemente o então presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso”.
E continua: “isso se refere a um conceito muito amplo, pouco útil ao planejamento de políticas criminais e não restrito aos presos condenados e/ou à temporalidade definida pela legislação vigente”.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


17.06.2024 - 14h32
Economia
Venda de ossos bovinos é comum e não começou no governo Lula

Vídeo que circula pelas redes sociais mostra ossos de carne bovina sendo vendidos a R$ 8,99 o quilo. Na gravação, o homem que filma as peças de osso de patinho diz que nunca tinha visto em supermercados esse tipo de produto e ironiza, perguntando se é picanha disfarçada. Falta contexto. A venda de ossos bovinos já era comum antes do governo Lula.

Carol Macário
14.06.2024 - 18h04
Educação
Lula criticou acesso difícil ao dizer que ‘universidade foi feita para ricos, não para pobres’

Vídeo mostra trecho de discurso do presidente Lula afirmando que as universidades foram feitas para ricos, não para pobres. O post tem sido compartilhado como se o político criticasse as cotas para pessoas de baixa renda e quilombolas. Falta contexto. No pronunciamento, o presidente disse que as oportunidades de acesso ao ensino superior não são iguais para todos.

Evelyn Fagundes
14.06.2024 - 17h38
Política
Vereador do PT foi preso por posse irregular de arma, não por desviar doações no RS

Circula nas redes um post dizendo que um vereador de Palmares do Sul (RS), filiado ao PT, foi preso por desviar doações destinadas ao Rio Grande do Sul. É falso. O vereador Filipe Lang (PT), um dos alvos de uma operação da Polícia Civil, foi detido em flagrante, mas por posse irregular de arma de fogo. O parlamentar foi liberado após pagar fiança.

Ítalo Rômany
14.06.2024 - 11h04
Política
É falso que relatório de CPI provou que Lula premeditou atos de 8 de janeiro

Circula nas redes post afirmando que o presidente Lula tinha conhecimento dos atos golpistas de 8 de janeiro — e que, portanto, o petista premeditou o crime. A prova seria o relatório final da CPI dos Atos Antidemocráticos do DF. É falso. Em nenhum momento o texto associa o nome do petista aos ataques ou o coloca entre os indiciados pelo crime.

Ítalo Rômany
13.06.2024 - 19h52
Política
Lula não disse que “a borracha vai cantar” sobre professores em greve

Circula nas redes um vídeo que mostra uma imagem do presidente Lula fazendo um discurso. O post contém a seguinte frase: “Lula manda recado: professores acabem com essa greve, senão a borracha vai cantar”. É falso. A foto se refere a um pronunciamento feito no dia 10 deste mês, mas a fala presente na legenda do conteúdo não foi feita pelo político.


Evelyn Fagundes
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital