UOL - O melhor conteúdo
Lupa
‘Pesquisa da OIT diz que 52% das mulheres já sofreram assédio no trabalho’?
07.04.2017 - 12h00
Rio de Janeiro - RJ
Desde a segunda-feira (3), as atrizes da Rede Globo iniciaram a campanha  #mexeucomumamexeucomtodas, em solidariedade à figurista Su Tonani, que contou ter sido assediada pelo ator José Mayer durante as gravações da novela “A Lei do Amor”. Após a pressão pública, Mayer fez uma carta na qual admitiu o erro e se desculpou por suas “brincadeiras machistas”.
Assim que a campanha ganhou as ruas e as redes sociais, diversas pessoas se pronunciaram sobre o assunto, citando uma série de dados. A Lupa resolveu conferir o grau de veracidade de alguns deles. Veja a seguir:
“Segundo a OIT, em todo mundo, 52% das mulheres já sofreram assédio sexual”
Insustentável
Essa informação vem sendo amplamente divulgada no Brasil. Há notícias contendo esse dado desde o fim de 2012, em páginas estatais, projetos de lei e requerimentos oficiais. Nessas notícias, os 52% ora diziam respeito a todo o mundo, ora apenas ao Brasil, ora vinham sem qualquer demarcação geográfica. O dado, no entanto, não aparece na base de dados pública mantida pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).
A Lupa procurou a OIT e foi informada pela assessoria de imprensa da entidade que a informação (sobre os 52%) não procede e que não existe nenhuma pesquisa da OIT nesse sentido.
Em 2005, a organização publicou um relatório sobre ações feitas para combater mundialmente o assédio sexual no trabalho. O documento, porém, não traz dados que quantifiquem o número de denúncias desse tipo realizadas em todo o mundo. A organização ressalta ainda a dificuldade de chegar a esse dado, devido à grande subnotificação.
Além disso, em 2007, a OIT fez  uma declaração de princípios e direitos fundamentais no trabalho. Nesse breve documento, há um tópico chamado “fatos-chave” que descreve que de 40 a 50% das mulheres da União Europeia afirmaram – à época – que haviam sido vítimas de assédio sexual no trabalho. O documento, porém, não menciona a fonte da pesquisa.
A informação pública mais próxima à compartilhada nas redes sociais nos últimos dias foi localizada é uma pesquisa da Trade Union Congress. De acordo com essa fonte, em 2016, um estudo apontou que 52% das mulheres do Reino Unido – e não do mundo todo nem do Brasil – afirmaram ter sido vítimas de assédio sexual no trabalho.

“No Brasil, 77% (das mulheres) já sofreram algum assédio sexual”
Verdadeiro, mas...
Os dados constam na pesquisa #Meninapodetudo: Machismo e violência contra a mulher, da ONG Énois Inteligência Jovem em parceria com os Institutos Vladimir Herzog e Patrícia Galvão, realizada em 2015.
O estudo, no entanto, foi produzido exclusivamente sobre a violência sofrida por mulheres jovens da periferia, com idades entre 14 e 24 anos e membro das classes C, D e E.
Das 2.285 entrevistadas em 370 cidades brasileiras, 77% relataram ter sofrido algum tipo de assédio sexual físico na rua, no transporte público, em passeios ou em festas. Desses episódios, 72% ocorreram com desconhecidos.
Os dados foram apresentados no 1º Seminário Internacional Cultura da Violência contra as Mulheres, em 2015, organizado pelos institutos e a ONU Mulheres.

“26% dos homens acham que mulher pede pra ser estuprada”
Verdadeiro, mas...
O gráfico 24 da pesquisa “Tolerância social à violência contra as mulheres”, divulgada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em abril de 2014, aponta que 26% dos entrevistados concordam parcial ou totalmente com a afirmação “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”. O estudo revela ainda que 58% dos entrevistados concordaram, total ou parcialmente, com a frase “se as mulheres soubessem se comportar haveria menos estupros”. Mas vale ressaltar que na pesquisa foram ouvidos homens e mulheres – e que a frase fala apenas em homens.
Hellen Guimarães sob a coordenação de Juliana Dal Piva
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Checagem
Conteúdo de verificação e classificação de uma ou mais falas específicas de determinada pessoa, seguindo metodologia própria.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


01.05.2024 - 19h00
Checagem
Ato de 1º de maio: Lula erra dado da cesta básica e exagera sobre apoio no Congresso

Em ato no dia 1º de maio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) errou ao afirmar que, com a reforma tributária, todos os alimentos da cesta básica terão isenção total de imposto. Ele ainda exagerou ao dizer que todas as propostas enviadas por seu governo ao Congresso foram aprovadas "de acordo com os interesses de que o governo queria".

Ítalo Rômany
21.04.2024 - 19h00
Checagem
Ato no RJ: Bolsonaro desinforma ao atacar Lula e se contradiz sobre contestar eleições

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) realizou um ato com aliados e apoiadores neste domingo (25), no Rio de Janeiro (RJ). A defesa da liberdade de expressão, com elogios ao empresário Elon Musk, e ataques à oposição e ao Judiciário deram o tom das cerca de duas horas de pronunciamentos. A Lupa checou algumas frases do discurso de Bolsonaro

Carol Macário
19.04.2024 - 14h30
Política
Ministra da Saúde erra ao negar aumento de mortes dos Yanomami sob Lula

Em audiência no Senado, a ministra da Saúde, Nísia Trindade, citou o negacionismo ao explicar a baixa adesão à vacina da dengue no Brasil. Ela errou ao afirmar que o número de óbitos dos Yanomami não cresceu no governo Lula. Confira a checagem completa.

Carol Macário
20.03.2024 - 17h44
Roda viva
Ministro Silvio Costa Filho erra ao falar sobre militância religiosa do presidente do Republicanos

Em entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura, o ministro de Portos e Aeroportos, Silvio Costa Filho (Republicanos-PE), destacou dados e números sobre investimentos no setor. Ele errou ao dizer que o atual presidente nacional do Republicanos não mistura religião com política. A Lupa checou algumas das declarações do ministro.

Carol Macário
12.03.2024 - 20h15
Política
No SBT, Lula exagera dados sobre erradicação da fome e reajuste salarial

Em entrevista ao SBT no dia 11 de março, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) exagerou ao lembrar dados de mandatos anteriores, como a suposta erradicação da fome no país em 2014. Ele também exagerou dados sobre reajustes salariais acima da inflação em 2023. A Lupa checou algumas das declarações do chefe do Executivo.

Carol Macário
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital