UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que pedófilos tentam entrar em grupo LGBT e têm até uma bandeira própria
17.07.2018 - 09h16
Rio de Janeiro - RJ
Circula na internet a “notícia” de que grupos de pedófilos estariam buscando fazer parte da comunidade LGBT. O grupo teria até criado uma “bandeira do orgulho MAP”. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que essas informações fossem verificadas. Confira a seguir a análise da Lupa:
“Pedófilos pedem para ser aceitos em comunidade LGBT”
Título de postagens feitas pelos sites Expresso Diário, PortalLivre e Terça Livre e que até as 15h40 do dia 16 de julho de 2018 já tinham mais de 42 mil interações no Facebook, segundo a plataforma BuzzSumo
Falso
A suposta “campanha” para que pedófilos façam parte da comunidade LGBT nada mais é do que uma ação coordenada de trolls, usuários de redes sociais que, entre outras medidas, publicam informações enganosas para espalhar falsidades na internet.
A “notícia” analisa, em parte uma tradução de um conteúdo publicado por sites americanos, cita a existência de uma campanha pelo “orgulho MAP”. O texto diz que o termo MAP, do inglês, pessoas atraídas por menores, teria sido inventado para que a pedofilia “ganhasse aceitação da comunidade LGBT”. Também informa que grupos de pedófilos teriam criado bandeira, similar à do orgulho gay, para simbolizar a existência do coletivo. Nada disso, no entanto, é verdade.
Segundo o site Snopes, uma das principais plataformas de checagem de informações dos Estados Unidos, a campanha pelo “orgulho MAP” e a bandeira foram criadas por um troll. Inicialmente, este troll criou um Tumblr sobre o assunto, dizendo “apoiar MAPs”. Mais tarde, ele modificou o site, dizendo que “essas pessoas precisavam de um terapeuta, não de uma comunidade”.
O termo MAP, segundo o Snopes, já é usado há anos por instituições que oferecem tratamento psicológico a pedófilos e efebófilos (pessoas atraídas sexualmente por adolescentes), e nada tem a ver com uma tentativa de “ganhar aceitação”.
A fonte citada na “notícia”, Brad Dacus, é um conhecido ativista anti-LGBT, fundador do grupo Pacific Justice Institute. Segundo a ONG americana Southern Poverty Law Center, a instituição “é comprovadamente um grupo de ódio” que “promove falsidades anti-LGBT”.
Por fim, o site The Prevention Project realmente existe, mas busca prevenir abuso sexual de menores e oferece tratamento psicológico para pessoas que sentem atração por crianças e adolescentes – e não para “afirmar que pedófilos são incompreendidos”.
Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


18.05.2024 - 16h51
Rio Grande do Sul
É falso que barragem da Usina 14 de Julho causou enchente no RS; vídeo é antigo

Vídeo que circula nas redes sociais afirma que a abertura de comportas das barragens do Rio das Antas e do Rio Carreiro teria resultado nas enchentes do Rio Grande do Sul. É falso. Trata-se de um vídeo antigo que não tem relação com as recentes enchentes. Além disso, as barragens citadas não têm capacidade de impactar nas cheias.


Evelyn Fagundes
18.05.2024 - 12h46
Rio Grande do Sul
Vídeo de resgate de criança por civis em enxurrada foi gravado na Turquia, não no RS

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra o resgate de duas pessoas em uma enchente. A legenda afirma se tratar do salvamento de duas crianças que ocorreu recentemente no Rio Grande do Sul. É falso. A gravação mostra o resgate de uma mulher e de uma criança em março de 2023 na Turquia.

Catiane Pereira
18.05.2024 - 09h46
Rio Grande do Sul
É falso que 2 mil corpos foram congelados em frigorífico de Canoas (RS)

Vídeo nas redes sociais alega que estão congelando corpos em câmaras frigoríficas no bairro Mathias Velho, em Canoas (RS). É falso. O Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul e a Prefeitura de Canoas desmentiram o boato. Além disso, o boletim da Defesa Civil, divulgado às 9h de sábado (18), aponta 22 óbitos em Canoas.

Catiane Pereira
17.05.2024 - 17h30
Rio Grande do Sul
É falso que foram destruídas doações para o RS mostradas em vídeo viral

Circula nas redes sociais um vídeo alegando que doações enviadas para o Rio Grande do Sul foram destruídas. É falso. Trata-se de um registro de 2023, em que donativos estavam sendo movidos por uma retroescavadeira para organizar o local. O conteúdo desinformativo ainda conta com outras narrativas falsas.


Evelyn Fagundes
16.05.2024 - 17h15
Rio Grande do Sul
É falso que lista com 53 nomes seja de crianças desacompanhadas em abrigo na Ulbra, em Canoas

Circula pelas redes sociais uma lista com supostos nomes de crianças sem seus responsáveis que estariam abrigadas no Campus da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), em Canoas (RS). É falso. Na verdade a lista traz os nomes de pessoas desabrigadas e que foram acolhidas em outro local, não de crianças desacompanhadas.

Catiane Pereira
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital