UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que pedófilos tentam entrar em grupo LGBT e têm até uma bandeira própria
17.07.2018 - 09h16
Rio de Janeiro - RJ
Circula na internet a “notícia” de que grupos de pedófilos estariam buscando fazer parte da comunidade LGBT. O grupo teria até criado uma “bandeira do orgulho MAP”. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que essas informações fossem verificadas. Confira a seguir a análise da Lupa:
“Pedófilos pedem para ser aceitos em comunidade LGBT”
Título de postagens feitas pelos sites Expresso Diário, PortalLivre e Terça Livre e que até as 15h40 do dia 16 de julho de 2018 já tinham mais de 42 mil interações no Facebook, segundo a plataforma BuzzSumo
Falso
A suposta “campanha” para que pedófilos façam parte da comunidade LGBT nada mais é do que uma ação coordenada de trolls, usuários de redes sociais que, entre outras medidas, publicam informações enganosas para espalhar falsidades na internet.
A “notícia” analisa, em parte uma tradução de um conteúdo publicado por sites americanos, cita a existência de uma campanha pelo “orgulho MAP”. O texto diz que o termo MAP, do inglês, pessoas atraídas por menores, teria sido inventado para que a pedofilia “ganhasse aceitação da comunidade LGBT”. Também informa que grupos de pedófilos teriam criado bandeira, similar à do orgulho gay, para simbolizar a existência do coletivo. Nada disso, no entanto, é verdade.
Segundo o site Snopes, uma das principais plataformas de checagem de informações dos Estados Unidos, a campanha pelo “orgulho MAP” e a bandeira foram criadas por um troll. Inicialmente, este troll criou um Tumblr sobre o assunto, dizendo “apoiar MAPs”. Mais tarde, ele modificou o site, dizendo que “essas pessoas precisavam de um terapeuta, não de uma comunidade”.
O termo MAP, segundo o Snopes, já é usado há anos por instituições que oferecem tratamento psicológico a pedófilos e efebófilos (pessoas atraídas sexualmente por adolescentes), e nada tem a ver com uma tentativa de “ganhar aceitação”.
A fonte citada na “notícia”, Brad Dacus, é um conhecido ativista anti-LGBT, fundador do grupo Pacific Justice Institute. Segundo a ONG americana Southern Poverty Law Center, a instituição “é comprovadamente um grupo de ódio” que “promove falsidades anti-LGBT”.
Por fim, o site The Prevention Project realmente existe, mas busca prevenir abuso sexual de menores e oferece tratamento psicológico para pessoas que sentem atração por crianças e adolescentes – e não para “afirmar que pedófilos são incompreendidos”.
Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


24.04.2024 - 10h52
História
É falso que Tiradentes fugiu para a França e não foi enforcado

Circula nas redes sociais um post publicado pelo deputado federal Luiz Philippe de Orléans e Bragança que afirma que Tiradentes não foi enforcado, mas fugiu para a França e retornou ao Brasil anos depois com o apoio de D. João VI.  É Falso. Documentos públicos do processo judicial da Conjuração Mineira confirmam que Tiradentes foi enforcado

Ítalo Rômany
23.04.2024 - 18h27
Política
Elon Musk não vai depor na Câmara dos Deputados no Brasil, mas nos EUA

Circula nas redes vídeo que afirma que o empresário Elon Musk, dono do X, iria depor na Câmara dos Deputados em Brasília. É falso. Musk disse em seu perfil na plataforma que foi convidado para depor na Câmara dos Estados Unidos, não no Brasil. A casa legislativa brasileira negou que exista pedido de audiência pública para ouvir o empresário.

Evelyn Fagundes
23.04.2024 - 14h55
Política
É falso que Alexandre de Moraes saiu correndo e gritando no Congresso

Post traz um vídeo com um homem careca de terno correndo pelos corredores do Congresso Nacional. A legenda da publicação afirma que se trata do ministro do STF Alexandre de Moraes, e que a cena foi registrada em 16 de abril. É falso. As imagens mostram um assessor parlamentar correndo durante uma confusão no Congresso, em 18 de outubro de 2023.

Maiquel Rosauro
22.04.2024 - 18h50
Política
Vídeos não são de ato recente de Bolsonaro em Copacabana; imagens são de 2022

Circula na internet vídeos da Praia de Copacabana lotada, sugerindo serem do ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro que aconteceu no último domingo (21). É falso. Os vídeos são de manifestação do dia 7 de setembro de 2022.

Gabriela Soares
19.04.2024 - 17h13
Política
É falso que montagem contra o PT foi projetada em prédio do Elon Musk

Circula na internet um vídeo de uma projeção com o desenho de um burro vestido com a camiseta do PT. Segundo a publicação, a imagem teria sido projetada em um prédio do empresário Elon Musk em Nova York. É falso. Trata-se de uma montagem, criada a partir de um modelo pronto do CapCut.

Gabriela Soares
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital