UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Museu Nacional: só 2 dos 13 programas presidenciais falam em proteção a museus
03.09.2018 - 07h27
Rio de Janeiro - RJ
Na noite do último domingo (2), um incêndio de mais de cinco horas destruiu a maior parte do acervo do Museu Nacional, mantido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Enquanto as chamas consumiam o edifício histórico, que completava 200 anos em 2018, candidatos e políticos de diferentes espectros ideológicos foram às redes sociais denunciar o descaso dos governos com a instituição. O próprio ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, em entrevista à GloboNews, disse que a tragédia era resultado de negligência.
Por conta da dimensão da perda e da repercussão midiática, é bem provável que a cultura finalmente entre na pauta da campanha eleitoral. Por conta disso, a Lupa checou como os candidatos à Presidência da República trataram a preservação do patrimônio cultural e a política de museus nos programas de governo que registraram no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Veja a seguir o resultado:
Veja agora os detalhes:
ALVARO DIAS (Veja aqui o programa)
O candidato do Podemos não traz nenhuma proposta para preservação do patrimônio cultural ou para a valorização de museus. No campo da cultura, a única promessa é “Cultura livre com Cartão Cultura”.
CABO DACIOLO (Veja aqui o programa)
O candidato do Patriota não menciona nenhuma política voltada especificamente para a cultura em seu programa.
CIRO GOMES (Veja aqui o programa)
O pedetista destaca um capítulo de seu programa para promessas relacionadas à cultura, entretanto não faz nenhuma menção direta à valorização de museus. O tópico que tangencia o tema promete “preservação e ampliação de nosso patrimônio artístico-cultural”.
EYMAEL (Veja aqui o programa)
O candidato do DC faz três promessas amplas para a cultura, incluindo “resgate e valorização da cultura e da identidade nacional”. Não há nenhuma menção sobre valorização ou política de museus.
GERALDO ALCKMIN (Veja aqui o programa)
O tucano atrela as políticas culturais a pautas econômicas em seu plano de governo. Afirma que o desenvolvimento da indústria criativa auxiliará o empreendedorismo em cultura. Também diz que reconhece as diversas manifestações artísticas como parte de um desenvolvimento econômico. O candidato não traz nenhuma proposta sobre a preservação do patrimônio cultural ou uma valorização dos museus.
GUILHERME BOULOS (Veja aqui o programa)
O candidato do PSOL dedica oito páginas do seu programa à cultura e define oito promessas para a área, incluindo 2% do PIB. Entretanto, Boulos não apresenta nenhuma proposta relacionada de forma direta à política de museus.
HENRIQUE MEIRELLES (Veja aqui o programa)
O emedebista não expôs nenhuma proposta para a área da cultura, preservação do patrimônio cultural ou museus em seu programa.
JAIR BOLSONARO (Veja aqui o programa)
O candidato do PSL também não menciona propostas para a cultura e política de museus.
JOÃO AMOÊDO (Veja aqui o programa)
Na disputa representando o partido Novo, João Amoêdo não traz nenhuma proposta relacionada à preservação de patrimônio cultural. Neste campo, somente afirma que implementará “novas formas de financiamento de cultura, do esporte e da ciência com fundos patrimoniais de doações”
JOÃO GOULART FILHO (Veja aqui o programa)
Dos 20 pontos em seu programa, o representante do PPL dedica um à cultura. Ainda assim, não há nenhuma menção direta à valorização de museus. As propostas tratam sobre restabelecer uma política cultural e focar em produzir ambientes digitais de memória.
PROGRAMA DO PT (Veja aqui o programa)
O PT, que teve Lula considerado inelegível na última sexta-feira, afirma em seu programa de governo que fortalecerá o Iphan e o Ibram para “proteção e promoção do patrimônio cultural e de fortalecimento da política nacional de museus”.
MARINA SILVA (Veja aqui o programa)
A candidata da rede incluiu a política de valorização de museus em seu programa. Ela afirma o seguinte: “Nos comprometemos a oferecer condições de funcionamento a museus, arquivos e bibliotecas”
VERA LUCIA (Veja aqui o programa)
Representante do PSTU na corrida presidencial não inseriu nenhuma proposta relacionada a política de museus em seu programa.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Reportagem
Conteúdo investigativo que aborda temas diversos relacionados a desinformação com o objetivo de manter os leitores informados.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


18.05.2024 - 12h15
Tragédia no Sul
Doações, resgates e alarmismo dominam onda de fakes sobre enchentes no RS

A crescente onda de desinformação sobre as enchentes no Rio Grande do Sul tem se caracterizado por três eixos principais: doações, resgates e alarmismo. Muitas das fakes já checadas também envolvem, em maior ou menor grau, a atuação — ou falta dela — dos governos na crise e a generalização de problemas isolados. Reportagem detalha e analisa o tema. 

Carol Macário
17.05.2024 - 14h11
Enchentes no RS
Políticos desinformam sobre tragédia no RS e atiçam base contra imprensa e opositores

Políticos têm usado as redes sociais para fazer coro à desinformação sobre a tragédia climática no RS, descredibilizar o trabalho da imprensa e atacar as instituições estatais. Levantamento da Lupa mostrou que, entre 1 e 15 de maio, parlamentares disseminaram informações descontextualizadas ou fakes já desmentidas, especialmente sobre doações.

Carol Macário
17.05.2024 - 10h01
Arco-íris sob ataque
201 projetos anti-LGBT+ chegaram às Assembleias Legislativas do Brasil desde 2020

A quarta e última reportagem da série sobre a desinformação anti-LGBT+ nas Américas mostra que 201 projetos anti-LGBT+ chegaram às Assembleias Legislativas do Brasil desde 2020. Destes, sete viraram lei – e uma dessas leis foi invalidada pelo STF. Amazonas, Rondônia, Paraíba e Espírito Santo têm restrições legais ativas contra os LGBT+

Cristina Tardáguila
16.05.2024 - 10h07
Arco-íris sob ataque
Estratégia “copia e cola” espalha projetos de lei anti-LGBT+ pelo Brasil

A linguagem não-binária, a participação de trans em esportes e todas as atividades pedagógicas relacionadas a sexo ou gênero são alvo de dezenas de projetos de lei país afora. Muitas dessas propostas chegam a ter um índice de mais de 80% de semelhança na redação. Esta é a terceira reportagem da série sobre a desinformação anti-LGBT+ nas Américas

Cristina Tardáguila
15.05.2024 - 10h06
Arco-íris sob ataque
Fakes do movimento anti-LGBT+ buscam opor educação sexual e segurança infantil

Posts que sugerem que pedófilos 'lambem os beiços em escolas primárias' e que pedem punição a pessoas trans viralizam em português, inglês e espanhol, sem levar em consideração dados factuais. Esta é a segunda reportagem da série sobre a desinformação anti-LGBT+ nas Américas

Cristina Tardáguila
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital