UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Receita das placas do Mercosul não vai para organização cubana
28.11.2018 - 15h48
Rio de Janeiro - RJ
Circula nas redes sociais imagem que mostra uma placa de trânsito do Mercosul na qual a sigla Renac, supostamente Reconstrucción Nacional Cubana, está presente. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:
“Você sabia que 2% de toda arrecadação do veículo do Mercosul será destinado para a Entidade Internacional do Mercosul, a RENAC, você sabe o que é a RENAC? (…) RENAC é Reconstrucción Nacional de Cuba.”
Imagem publicada no Facebook com 1,9 mil compartilhamentos até as 14h10 do dia 28 de novembro
Falso
A foto é uma montagem. É possível ver a mesma imagem da mesma placa em outros sites, incluindo o G1, o jornal O Dia e a empresa pública Serpro. Em todas essas imagens, a sigla “Renac” não aparece.
As novas placas do Mercosul contam com as seguintes informações: o emblema do Mercosul, o nome do país, a bandeira do país e, no caso brasileiro, a bandeira do estado e o emblema do município onde a placa foi registrada. Elas contam também com um QR Code abaixo do emblema da organização e as iniciais do país no canto inferior esquerdo.
Além de a foto ser uma montagem, não existe nenhum registro de instituição oficial chamada “Reconstrucción Nacional de Cuba”. Há várias instituições com a sigla ou o nome Renac, incluindo uma empresa de créditos brasileira, a Rede Nacional de Anomalias Congênitas da Argentina, a Academia de Energia Renovável (Renewables Academy) da Alemanha, e um município da França. Nenhuma delas tem qualquer relação com o governo cubano ou com o Mercosul.
Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


19.04.2024 - 17h13
Política
É falso que montagem contra o PT foi projetada em prédio do Elon Musk

Circula na internet um vídeo de uma projeção com o desenho de um burro vestido com a camiseta do PT. Segundo a publicação, a imagem teria sido projetada em um prédio do empresário Elon Musk em Nova York. É falso. Trata-se de uma montagem, criada a partir de um modelo pronto do CapCut.

Gabriela Soares
19.04.2024 - 16h58
Política
É falso que Congresso dos Estados Unidos deu 48 horas para o STF entregar documentos sobre o X

Post nas redes sociais alega que o Congresso dos EUA deu 48 horas para o STF entregar documentos referentes ao X. É falso. O Comitê de Assuntos Judiciários da Câmara de Deputados dos EUA solicitou ao X acesso às decisões do Supremo sobre moderação de conteúdo. A empresa entregou a documentação e informou o STF. 

Maiquel Rosauro
16.04.2024 - 17h50
Política
Lula segue recomendação do Ministério da Justiça e sanciona, com veto, PL da ‘saidinha’ de presos

Circula pelas redes sociais que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vetou o PL 2.253, de 2022, que restringe a chamada 'saidinha' de presos. Falta Contexto. Lula sancionou o projeto com veto, o presidente acatou recomendação do Ministério da Justiça e manteve o direito à saída temporária dos presos do semiaberto para visita a familiares.

Catiane Pereira
16.04.2024 - 17h22
Política
Homem que acusa governo brasileiro de solicitar dados de usuários do X não é diretor da rede

Circula nas redes um vídeo no qual um homem alega que o governo brasileiro teria solicitado aos líderes do X, antigo Twitter, informações pessoais dos usuários. Segundo a legenda do post, o homem seria o diretor da plataforma. É falso. A pessoa que aparece no vídeo é um jornalista estadunidense que levantou as tais suposições em uma reportagem.

Evelyn Fagundes
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital