UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que Roberto Carlos recebeu R$ 150 milhões da Lei Rouanet para fazer shows
07.12.2018 - 09h49
Rio de Janeiro - RJ
Circula nas redes sociais a “informação” de que o cantor Roberto Carlos recebeu R$ 150 milhões via Lei Rouanet para produzir shows em cruzeiros. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:
“Sabe quanto o ‘Rei’ Roberto Carlos tirou da Lei Rouanet para aqueles shows nos cruzeiros, etc.? R$ 150 milhões!”
Texto de postagem que até as 9h30 do dia 7 de dezembro de 2018 já tinha mais de 26 mil compartilhamentos no Facebook
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. Roberto Carlos nunca usou a Lei Rouanet para captar dinheiro para a organização de seus shows ou dos cruzeiros que faz com fãs periodicamente. Uma pesquisa no portal Versalic, mantido pelo Ministério da Cultura (MinC) para dar transparência aos projetos que angariam recursos por meio dessa legislação, revela que projetos envolvendo o cantor captaram, desde 2009, um total de R$ 1 milhão e que nenhum deles foi proposto diretamente pelo artista ou tem a ver com o projeto Emoções (cruzeiros com shows).
Dados do portal listam quatro projetos ligados ao cantor nesse período. O primeiro, de 2009, conseguiu captar R$ 1 milhão para a realização de uma exposição sobre a carreira de Roberto Carlos. O evento foi realizado no Parque Ibirapuera, em São Paulo.
O segundo projeto solicitou R$ 510 mil para a realização de um musical dedicado ao cantor, mas não houve nenhum proponente interessado em apoiá-lo. A ideia era “homenagear um dos maiores artistas da MPB”. Os proponentes defendiam que Roberto Carlos foi o artista que supostamente “inventou o amor” e merecia ser homenageado, mas não conseguiram captar verbas.
Também não apareceram incentivadores para o projeto encabeçado pela cantora Teresa Cristina, em 2012, que buscou arrecadar R$ 1,8 milhão para a gravação de um CD e um DVD, além da realização de uma turnê de lançamento de álbum em que ela e outros artistas cantariam músicas de Roberto Carlos. O sistema do MinC informa que não houve apoio financeiro.
E, em 2017, também não prosperou a tentativa de captar verbas para realização de uma turnê nacional de uma orquestra cujo repertório seriam as músicas de Roberto Carlos.
Vale lembrar que a Lei Rouanet abre a possibilidade de o governo não recolher parte do imposto de renda de empresas e pessoas físicas para que esse dinheiro seja usado no apoio a projetos culturais previamente aprovados pelo MinC.
Também vale ressaltar que todos os projetos apoiados pela Lei Rouanet devem ser publicamente identificados como tal. O projeto Emoções, de Roberto Carlos, não traz em seu site qualquer referência a captação de verbas por esse mecanismo.
Checagem de conteúdo semelhante também foi publicada pelo site Boatos.org.
Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


24.04.2024 - 13h17
Política
Documento apresentado por jornalista norte-americano não comprova fraude nas eleições de 2022

ircula nas redes um vídeo com a fala do jornalista Glenn Greenwald sobre uma suposta decisão do STF solicitando o banimento de perfis em redes sociais. Segundo a publicação, o texto comprova fraude nas eleições de 2022. É falso. O suposto documento apresentado se refere a uma decisão de janeiro de 2023 e não teria como interferir nas eleições. 


Gabriela Soares
24.04.2024 - 10h52
História
É falso que Tiradentes fugiu para a França e não foi enforcado

Circula nas redes sociais um post publicado pelo deputado federal Luiz Philippe de Orléans e Bragança que afirma que Tiradentes não foi enforcado, mas fugiu para a França e retornou ao Brasil anos depois com o apoio de D. João VI.  É Falso. Documentos públicos do processo judicial da Conjuração Mineira confirmam que Tiradentes foi enforcado

Ítalo Rômany
23.04.2024 - 18h27
Política
Elon Musk não vai depor na Câmara dos Deputados no Brasil, mas nos EUA

Circula nas redes vídeo que afirma que o empresário Elon Musk, dono do X, iria depor na Câmara dos Deputados em Brasília. É falso. Musk disse em seu perfil na plataforma que foi convidado para depor na Câmara dos Estados Unidos, não no Brasil. A casa legislativa brasileira negou que exista pedido de audiência pública para ouvir o empresário.

Evelyn Fagundes
23.04.2024 - 14h55
Política
É falso que Alexandre de Moraes saiu correndo e gritando no Congresso

Post traz um vídeo com um homem careca de terno correndo pelos corredores do Congresso Nacional. A legenda da publicação afirma que se trata do ministro do STF Alexandre de Moraes, e que a cena foi registrada em 16 de abril. É falso. As imagens mostram um assessor parlamentar correndo durante uma confusão no Congresso, em 18 de outubro de 2023.

Maiquel Rosauro
22.04.2024 - 18h50
Política
Vídeos não são de ato recente de Bolsonaro em Copacabana; imagens são de 2022

Circula na internet vídeos da Praia de Copacabana lotada, sugerindo serem do ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro que aconteceu no último domingo (21). É falso. Os vídeos são de manifestação do dia 7 de setembro de 2022.

Gabriela Soares
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital