UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que Jean Wyllys repassou R$ 50 mil a advogado de Adélio Bispo
29.01.2019 - 17h36
Rio de Janeiro - RJ
Circula nas redes sociais a “informação” de que o Ministério Público Federal (MPF) teria identificado um repasse bancário no valor de R$ 50 mil feito pelo deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) ao advogado de Adélio Bispo de Oliveira, o homem que esfaqueou Jair Bolsonaro em Juiz de Fora (MG) durante a campanha presidencial do ano passado. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:
“MPF identificou repasse bancário de R$ 50 mil de Jean Wyllys ao advogado do esfaqueador de Bolsonaro [Adélio Bispo]”
Publicação que, até as 17h do dia 29 de janeiro de 2019, já tinha sido compartilhado mais de 6 mil vezes no Facebook
Falso
O Ministério Público Federal informou, em nota, que não identificou nenhum repasse bancário do deputado federal Jean Wyllys para o advogado Zanone Manuel de Oliveira, que defende Adélio. O mesmo conteúdo também foi desmentido pela Procuradoria da República de Minas Gerais, que, atualmente, cuida dos processos contra o agressor de Bolsonaro. Assim sendo, a informação analisada pela Lupa é falsa.
Na última quinta-feira (24), Jean Wyllys afirmou ao jornal Folha de S.Paulo que vai desistir de seu mandato como deputado federal, que está fora do país e que não voltará ao Brasil. Eleito com mais de 24 mil votos, o político do PSOL diz que essa decisão é resultado de diversas ameaças e de notícias falsas veiculadas a seu respeito.
Checagem semelhante foi feita pelo site e-Farsas.
Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


17.07.2024 - 16h16
Internacional
É falso que antifa chamado Mark Violets atirou em Donald Trump

Post alega que o Departamento de Polícia de Butler identificou que o homem que atirou em Donald Trump se chama Mark Violets, um membro da Antifa. A publicação é acompanhada de um vídeo que mostra Violets sobre um telhado supostamente morto. É falso. O homem no vídeo é Thomas Matthew Crooks, morto pelo Serviço Secreto norte-americano.

Maiquel Rosauro
17.07.2024 - 15h12
Política
Agente do Serviço Secreto dos EUA não foi impedido de disparar em atirador de Trump

Circula nas redes o relato de um suposto agente do Serviço Secreto dos EUA chamado Jonathan Willis, afirmando que foi impedido de disparar contra o atirador que tentou assassinar o ex-presidente dos EUA Donald Trump. É falso. O Serviço Secreto esclareceu que não tem nenhum agente com esse nome e classificou a história como “categoricamente falsa”.


Gabriela Soares
17.07.2024 - 15h08
Política
É falso que governo confirmou fim do pagamento de R$ 600 no Bolsa Família

Post alega que Lula confirmou o fim do pagamento de R$ 600 no Bolsa Família. A publicação possui um vídeo no qual uma mulher diz que o ministro Fernando Haddad afirmou que haverá cortes para famílias que recebem benefícios sociais. É falso. O governo não confirma a informação. Haddad não disse que haverá cortes para famílias em benefícios sociais.

Maiquel Rosauro
16.07.2024 - 17h29
Internacional
Homem em vídeo viral não é autor de atentado contra Donald Trump

Homem em um vídeo viral alega ser Thomas Matthew Crooks, o responsável por atirar em Donald Trump em um comício, no sábado (13). É falso. Crooks foi morto pelo serviço secreto após os disparos. O homem no vídeo é um usuário do X que tentou fazer uma trollagem. Ele se arrependeu e disse que o vídeo foi um erro.

Maiquel Rosauro
16.07.2024 - 17h03
Eleições nos EUA
Diretor do FBI não revelou que deputado do partido de Biden mandou matar Trump

Circula nas redes post afirmando que o diretor do FBI descobriu que o atirador que tentou matar Donald Trump foi contratado por um deputado democrata para cometer o crime. É falso. Não há qualquer declaração pública sobre esse suposto fato. As investigações ainda estão no início e não há participação de qualquer outra pessoa no crime, diz o FBI.

Ítalo Rômany
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital