UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso tuíte de general convocando Forças Armadas após decisão do STF
08.11.2019 - 12h12
Rio de Janeiro - RJ
Circula pelas redes sociais um post atribuído ao general do Exército Eduardo Villas Bôas, assessor do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República. Na publicação, o militar afirma que o Exército compartilha com a população o repúdio à impunidade – uma referência à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), na quinta-feira (7), contrária ao cumprimento de pena antes de se esgotarem todos os recursos.
A mensagem diz ainda que a alta cúpula militar vai se reunir para definir ações das Forças Armadas para garantir a estabilidade do país. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:
“Asseguro à Nação que o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à Democracia. A alta cúpula militar irá se reunir para definir ações das forças armadas para assegurar a estabilidade”
Tuíte atribuído ao general Villas Bôas em post no Facebook que, até as 11h de 8 de novembro de 2019, tinha mais de 1.030 compartilhamentos
Falso
O tuíte analisado pela Lupa foi publicado na noite da última quinta-feira (7) por um perfil falso do general Villas Bôas no Twitter. A conta tinha duas letras “I” maiúsculas no lugar das duas letras “L” minúsculas, além de usar a mesma imagem da conta verificada do militar. O perfil fake foi deletado e, por isso, o tuíte não está mais disponível. Algumas publicações, como a Gazeta do Povo e o DCM, conseguiram capturar o post antes de o texto ser apagado.
Em 3 de abril de 2018, o general publicou, em seu Twitter oficial, uma mensagem semelhante, às vésperas do julgamento de um habeas corpus impetrado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no STF. O post original causou desconforto na época. O tuíte falso aproveitou o texto anterior e incluiu a frase que diz que a alta cúpula das Forças Armadas vai se reunir para garantir a estabilidade. Também eliminou o trecho em que Villas Bôas destaca que o Exército “está atento às suas missões institucionais”.
Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


12.04.2024 - 17h28
Eleições
Musk não entregou aos EUA provas de interferência de Moraes nas eleições

Publicação nas redes sociais alega que Elon Musk entregou às autoridades dos Estados Unidos documentos evidenciando a interferência do ministro Alexandre de Moraes, do STF, nas eleições de 2022. É falso. Não há nenhum registro sobre o fato. Além disso, um especialista em Direito Constitucional afirma que tal ação não teria efeito prático no Brasil.

Maiquel Rosauro
12.04.2024 - 17h02
Política
É falso que Elon Musk conseguiu o impeachment de Alexandre de Moraes

Circula nas redes um vídeo do deputado federal Gustavo Gayer (PL-GO), que estaria comemorando o impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, após o empresário Elon Musk pedir o afastamento do magistrado. É falso. O vídeo mostra Gayer comemorando a aprovação da PEC que limita decisões monocráticas no STF.

Catiane Pereira
12.04.2024 - 16h16
STF
É de 2016 vídeo sobre ação da PF que cita Alexandre de Moraes; caso foi arquivado

Circula nas redes um vídeo que mostra que o nome do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes apareceu em documentos apreendidos pela PF de uma empresa investigada em esquema de fraude. Falta contexto. O vídeo é antigo, de 2016. Pagamentos à firma de Moraes foram para honorários advocatícios. O caso foi arquivado.

Ítalo Rômany
12.04.2024 - 15h13
Política
É falso que Moraes tenha ‘censurado’ o jornalista Augusto Nunes

Circula nas redes sociais um vídeo em que um homem alega que o jornalista Augusto Nunes teria sido censurado pelo Supremo Tribunal Federal em um processo liderado pelo ministro Alexandre de Moraes. É falso. A Suprema Corte negou que exista uma decisão desse gênero em vigor.


Evelyn Fagundes
12.04.2024 - 14h21
Política
É antigo vídeo no qual Cármen Lúcia fala sobre liberdade de expressão

Um vídeo no qual a vice-presidente do TSE, Cármen Lúcia, fala sobre ‘censura’ em uma sessão da corte circula com uma legenda que insinua que ela estaria se posicionando contra o ministro Alexandre de Moraes em sua disputa com o empresário Elon Musk. É falso. O vídeo é de 2022. A sessão do TSE tratou sobre desmonetização de canais no YouTube.

Catiane Pereira
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital