UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Empresa chinesa com logo ‘inspirado’ no game Resident Evil não tem relação com coronavírus
29.01.2020 - 18h07
Rio de Janeiro - RJ
Circula pelas redes sociais um post com uma montagem que mostra, do lado esquerdo, a foto da sede de uma empresa de onde teria saído o novo coronavírus, ou 2019-nCoV. Na foto do lado direito está o logotipo da Umbrella Corporation, companhia fictícia que aparece nos games da franquia de terror Resident Evil. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:
“À esquerda – O símbolo da empresa de onde o Coronavírus se manifestou. À direita – Umbrella Corporation de Resident Evil com o maldito vírus ‘C’ que se espalhou por Racoon City. E ‘Racoon’ é um anagrama de CORONA. Que mundo!”
Texto de post no Facebook que, até as 15h de 29 de janeiro de 2020, tinha 251 compartilhamentos
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. A foto à esquerda na montagem mostra o logotipo da Shanghai Ruilan Bao Hu San Biotech Limited, uma empresa de biotecnologia chinesa localizada na cidade de Xangai, no leste do país. A companhia fica a 840 quilômetros do município de Wuhan, onde o novo coronavírus foi detectado pela primeira vez no final do ano passado. Além de estar muito distante, não foi encontrada qualquer ligação dessa companhia com a doença causada pela nova cepa.
A doença não “se manifestou” na companhia citada no post. A origem do 2019-nCoV ainda não está clara, mas nenhuma evidência surgida até o momento aponta para a sua fabricação por uma empresa de biotecnologia. Porém, a principal suspeita é de que a origem do novo coronavírus tenha sido o mercado de animais vivos e frutos do mar de Huanan, em Wuhan. A maior parte dos 41 primeiros pacientes infectados com o vírus estiveram nessa localidade.
Os coronavírus são uma família de vírus causadora de doenças respiratórias tanto em seres humanos como em animais. Uma variante, por exemplo, é responsável pela SARS (síndrome respiratória aguda grave), enquanto outra provoca a MERS (síndrome respiratória do Oriente Médio). Cientistas trabalham com a hipótese de que o 2019-nCoV tenha sido passado de animais para humanos. Não está claro, contudo, qual espécie seria a fonte da transmissão, nem como isso ocorreu.
Sites especializados como o Kotaku apontaram, no ano passado, para a similaridade entre o logotipo da Shanghai Ruilan Bao Hu San Biotech Limited e a marca da fictícia Umbrella Corporation, presente nos games da série Resident Evil. Com o surgimento do novo coronavírus, a coincidência serviu de combustível para uma teoria da conspiração. Na franquia, a Umbrella Corporation é uma empresa de biotecnologia que cria o vírus “T”, uma arma letal militar que transformava as pessoas contaminadas em zumbis. O vírus “C”, citado no post, não foi criado pela Umbrella, mas por uma organização chamada Família.
Segundo informações disponíveis no seu site, a Shanghai Ruilan Bao Hu San Biotech Limited presta consultoria para projetos científicos e trabalha com diferentes tipos de testes genéticos para detecção de doenças ou para verificar o estado do sistema imunológico. Também é afiliada ao Instituto de Pesquisa do Câncer de Xangai e trabalha com testes capazes de identificar o surgimento de tumores.
Para verificar peças de desinformação que circulam sobre o novo coronavírus, a Lupa participa de uma coalizão com checadores de 30 países. Este trabalho está sendo coordenado pela International Fact-Checking Network (IFCN). Até esta quarta-feira (29), a doença causada pelo 2019-nCoV já havia provocado 132 mortes e infectado 6.078 pessoas na China, segundo o veículo estatal Global Voices.
Uma versão dessa checagem foi feita pelo E-farsas.
Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


19.04.2024 - 17h13
Política
É falso que montagem contra o PT foi projetada em prédio do Elon Musk

Circula na internet um vídeo de uma projeção com o desenho de um burro vestido com a camiseta do PT. Segundo a publicação, a imagem teria sido projetada em um prédio do empresário Elon Musk em Nova York. É falso. Trata-se de uma montagem, criada a partir de um modelo pronto do CapCut.

Gabriela Soares
19.04.2024 - 16h58
Política
É falso que Congresso dos Estados Unidos deu 48 horas para o STF entregar documentos sobre o X

Post nas redes sociais alega que o Congresso dos EUA deu 48 horas para o STF entregar documentos referentes ao X. É falso. O Comitê de Assuntos Judiciários da Câmara de Deputados dos EUA solicitou ao X acesso às decisões do Supremo sobre moderação de conteúdo. A empresa entregou a documentação e informou o STF. 

Maiquel Rosauro
16.04.2024 - 17h50
Política
Lula segue recomendação do Ministério da Justiça e sanciona, com veto, PL da ‘saidinha’ de presos

Circula pelas redes sociais que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vetou o PL 2.253, de 2022, que restringe a chamada 'saidinha' de presos. Falta Contexto. Lula sancionou o projeto com veto, o presidente acatou recomendação do Ministério da Justiça e manteve o direito à saída temporária dos presos do semiaberto para visita a familiares.

Catiane Pereira
16.04.2024 - 17h22
Política
Homem que acusa governo brasileiro de solicitar dados de usuários do X não é diretor da rede

Circula nas redes um vídeo no qual um homem alega que o governo brasileiro teria solicitado aos líderes do X, antigo Twitter, informações pessoais dos usuários. Segundo a legenda do post, o homem seria o diretor da plataforma. É falso. A pessoa que aparece no vídeo é um jornalista estadunidense que levantou as tais suposições em uma reportagem.

Evelyn Fagundes
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital