UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Empresa chinesa com logo ‘inspirado’ no game Resident Evil não tem relação com coronavírus
29.01.2020 - 18h07
Rio de Janeiro - RJ
Circula pelas redes sociais um post com uma montagem que mostra, do lado esquerdo, a foto da sede de uma empresa de onde teria saído o novo coronavírus, ou 2019-nCoV. Na foto do lado direito está o logotipo da Umbrella Corporation, companhia fictícia que aparece nos games da franquia de terror Resident Evil. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da ​Lupa​:
“À esquerda – O símbolo da empresa de onde o Coronavírus se manifestou. À direita – Umbrella Corporation de Resident Evil com o maldito vírus ‘C’ que se espalhou por Racoon City. E ‘Racoon’ é um anagrama de CORONA. Que mundo!”
Texto de post no Facebook que, até as 15h de 29 de janeiro de 2020, tinha 251 compartilhamentos
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. A foto à esquerda na montagem mostra o logotipo da Shanghai Ruilan Bao Hu San Biotech Limited, uma empresa de biotecnologia chinesa localizada na cidade de Xangai, no leste do país. A companhia fica a 840 quilômetros do município de Wuhan, onde o novo coronavírus foi detectado pela primeira vez no final do ano passado. Além de estar muito distante, não foi encontrada qualquer ligação dessa companhia com a doença causada pela nova cepa.
A doença não “se manifestou” na companhia citada no post. A origem do 2019-nCoV ainda não está clara, mas nenhuma evidência surgida até o momento aponta para a sua fabricação por uma empresa de biotecnologia. Porém, a principal suspeita é de que a origem do novo coronavírus tenha sido o mercado de animais vivos e frutos do mar de Huanan, em Wuhan. A maior parte dos 41 primeiros pacientes infectados com o vírus estiveram nessa localidade.
Os coronavírus são uma família de vírus causadora de doenças respiratórias tanto em seres humanos como em animais. Uma variante, por exemplo, é responsável pela SARS (síndrome respiratória aguda grave), enquanto outra provoca a MERS (síndrome respiratória do Oriente Médio). Cientistas trabalham com a hipótese de que o 2019-nCoV tenha sido passado de animais para humanos. Não está claro, contudo, qual espécie seria a fonte da transmissão, nem como isso ocorreu.
Sites especializados como o Kotaku apontaram, no ano passado, para a similaridade entre o logotipo da Shanghai Ruilan Bao Hu San Biotech Limited e a marca da fictícia Umbrella Corporation, presente nos games da série Resident Evil. Com o surgimento do novo coronavírus, a coincidência serviu de combustível para uma teoria da conspiração. Na franquia, a Umbrella Corporation é uma empresa de biotecnologia que cria o vírus “T”, uma arma letal militar que transformava as pessoas contaminadas em zumbis. O vírus “C”, citado no post, não foi criado pela Umbrella, mas por uma organização chamada Família.
Segundo informações disponíveis no seu site, a Shanghai Ruilan Bao Hu San Biotech Limited presta consultoria para projetos científicos e trabalha com diferentes tipos de testes genéticos para detecção de doenças ou para verificar o estado do sistema imunológico. Também é afiliada ao Instituto de Pesquisa do Câncer de Xangai e trabalha com testes capazes de identificar o surgimento de tumores.
Para verificar peças de desinformação que circulam sobre o novo coronavírus, a Lupa participa de uma coalizão com checadores de 30 países. Este trabalho está sendo coordenado pela International Fact-Checking Network (IFCN). Até esta quarta-feira (29), a doença causada pelo 2019-nCoV já havia provocado 132 mortes e infectado 6.078 pessoas na China, segundo o veículo estatal Global Voices.
Uma versão dessa checagem foi feita pelo E-farsas.
Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


18.05.2024 - 16h51
Rio Grande do Sul
É falso que barragem da Usina 14 de Julho causou enchente no RS; vídeo é antigo

Vídeo que circula nas redes sociais afirma que a abertura de comportas das barragens do Rio das Antas e do Rio Carreiro teria resultado nas enchentes do Rio Grande do Sul. É falso. Trata-se de um vídeo antigo que não tem relação com as recentes enchentes. Além disso, as barragens citadas não têm capacidade de impactar nas cheias.


Evelyn Fagundes
18.05.2024 - 12h46
Rio Grande do Sul
Vídeo de resgate de criança por civis em enxurrada foi gravado na Turquia, não no RS

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra o resgate de duas pessoas em uma enchente. A legenda afirma se tratar do salvamento de duas crianças que ocorreu recentemente no Rio Grande do Sul. É falso. A gravação mostra o resgate de uma mulher e de uma criança em março de 2023 na Turquia.

Catiane Pereira
18.05.2024 - 09h46
Rio Grande do Sul
É falso que 2 mil corpos foram congelados em frigorífico de Canoas (RS)

Vídeo nas redes sociais alega que estão congelando corpos em câmaras frigoríficas no bairro Mathias Velho, em Canoas (RS). É falso. O Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul e a Prefeitura de Canoas desmentiram o boato. Além disso, o boletim da Defesa Civil, divulgado às 9h de sábado (18), aponta 22 óbitos em Canoas.

Catiane Pereira
17.05.2024 - 17h30
Rio Grande do Sul
É falso que foram destruídas doações para o RS mostradas em vídeo viral

Circula nas redes sociais um vídeo alegando que doações enviadas para o Rio Grande do Sul foram destruídas. É falso. Trata-se de um registro de 2023, em que donativos estavam sendo movidos por uma retroescavadeira para organizar o local. O conteúdo desinformativo ainda conta com outras narrativas falsas.


Evelyn Fagundes
16.05.2024 - 17h15
Rio Grande do Sul
É falso que lista com 53 nomes seja de crianças desacompanhadas em abrigo na Ulbra, em Canoas

Circula pelas redes sociais uma lista com supostos nomes de crianças sem seus responsáveis que estariam abrigadas no Campus da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), em Canoas (RS). É falso. Na verdade a lista traz os nomes de pessoas desabrigadas e que foram acolhidas em outro local, não de crianças desacompanhadas.

Catiane Pereira
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital