UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que OMS mudou de posição sobre restrições de movimento durante epidemia de Covid-19
31.03.2020 - 18h54
Rio de Janeiro - RJ
Circula pelas redes sociais que a Organização Mundial da Saúde (OMS) recuou nas recomendações de isolamento. Um texto publicado no site Terça-Livre citou essa informação e afirmou que, para a entidade, “governos devem pensar em quem precisa garantir o pão de cada dia”. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:
“OMS recua e diz que governos devem pensar em quem precisa garantir o pão de cada dia”
Título de reportagem publicada pelo site Terça-Livre que, até às 17h do dia 31 de março de 2020, tinha sido compartilhada por mais de 200 pessoas no Facebook
Falso
A OMS não recuou na sua decisão de recomendar o isolamento como forma de prevenir a disseminação do vírus SARS-Cov-2, causador da Covid-19. Na verdade, o diretor-geral da instituição, o etíope Tedros Adhanom Ghebreysus, apenas reconheceu que pessoas pobres podem ser prejudicadas por ficarem sem fonte de renda durante o período. Em entrevista coletiva na última segunda-feira (30), ele concluiu que os governos nacionais devem desenvolver políticas públicas para garantir renda a essas pessoas – e não relaxar as medidas de isolamento onde elas são necessárias. Em momento algum ele indicou uma mudança de opinião da OMS sobre o assunto.
Essa informação começou a circular pelas redes sociais após Tedros afirmar, na última segunda-feira (30), que muitas pessoas precisam trabalhar para garantir o “pão de cada dia”. Contudo, o representante da OMS estava destacando a necessidade dos governos desenvolverem políticas sociais fortes para amparar a população mais vulnerável financeiramente. Em nenhum momento ele afirmou que o isolamento deveria ser repensado.
Depois da coletiva, em seu Twitter, Tedros afirmou que pessoas sem uma grande renda familiar merecem políticas sociais que garantam com dignidade o cumprimendo das medidas de saúde pública recomendadas pelas autoridades nacionais de saúde. “Eu cresci pobre e entendo essa realidade. Chamo os países a desenvolver políticas que forneçam proteção econômica para pessoas que não podem ganhar ou trabalhar em meio à pandemia de #COVID19”, escreveu o diretor-geral da OMS.
O diretor-executivo do Programa para Emergências em Saúde da OMS, o irlandês Michael Ryan, também participou dessa coletiva. Ele disse, sem citar casos específicos, que políticas de restrição total podem ser necessárias, dependendo da gravidade da epidemia no local. Ryan reconheceu que essas medidas causam problemas para a população, e reforçou a necessidade de comunicá-las de forma adequada aos cidadãos afetados. Assim como Tedros, em nenhum momento ele defendeu o relaxamento dessas medidas.
Nesta terça-feira (31), o presidente Jair Bolsonaro também retirou de contexto a fala de Tedros. Ele disse que o diretor da OMS falou “praticamente” que os trabalhadores informais “têm que trabalhar” durante a pandemia do novo coronavírus. Em nenhum momento Tedros disse isso.
Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


14.06.2024 - 18h04
Educação
Lula criticou acesso difícil ao dizer que ‘universidade foi feita para ricos, não para pobres’

Vídeo mostra trecho de discurso do presidente Lula afirmando que as universidades foram feitas para ricos, não para pobres. O post tem sido compartilhado como se o político criticasse as cotas para pessoas de baixa renda e quilombolas. Falta contexto. No pronunciamento, o presidente disse que as oportunidades de acesso ao ensino superior não são iguais para todos.

Evelyn Fagundes
14.06.2024 - 17h38
Política
Vereador do PT foi preso por posse irregular de arma, não por desviar doações no RS

Circula nas redes um post dizendo que um vereador de Palmares do Sul (RS), filiado ao PT, foi preso por desviar doações destinadas ao Rio Grande do Sul. É falso. O vereador Filipe Lang (PT), um dos alvos de uma operação da Polícia Civil, foi detido em flagrante, mas por posse irregular de arma de fogo. O parlamentar foi liberado após pagar fiança.

Ítalo Rômany
14.06.2024 - 11h04
Política
É falso que relatório de CPI provou que Lula premeditou atos de 8 de janeiro

Circula nas redes post afirmando que o presidente Lula tinha conhecimento dos atos golpistas de 8 de janeiro — e que, portanto, o petista premeditou o crime. A prova seria o relatório final da CPI dos Atos Antidemocráticos do DF. É falso. Em nenhum momento o texto associa o nome do petista aos ataques ou o coloca entre os indiciados pelo crime.

Ítalo Rômany
13.06.2024 - 19h52
Política
Lula não disse que “a borracha vai cantar” sobre professores em greve

Circula nas redes um vídeo que mostra uma imagem do presidente Lula fazendo um discurso. O post contém a seguinte frase: “Lula manda recado: professores acabem com essa greve, senão a borracha vai cantar”. É falso. A foto se refere a um pronunciamento feito no dia 10 deste mês, mas a fala presente na legenda do conteúdo não foi feita pelo político.


Evelyn Fagundes
13.06.2024 - 17h18
Segurança pública
É falso que lei federal exige guarnições para atender a população LGBT+

Vídeo mostra foto de uma viatura da polícia militar na cor lilás. Segundo o áudio do vídeo, uma lei federal determinou que esse tipo de veículo deveria ser adotado pelas polícias e forças armadas para o atendimento à população LGBT+. É falso. A imagem foi feita no Piauí e se refere aos veículos utilizados na patrulha de combate à violência contra a mulher.

Evelyn Fagundes
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital