UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que governo da Paraíba usou verba emergencial para contratar artistas
03.04.2020 - 18h54
Rio de Janeiro - RJ
Circula pelas redes sociais um texto afirmando que o governo da Paraíba teria recebido R$ 11 milhões em caráter emergencial do governo federal e que, ao invés de utilizar o dinheiro no combate a Covid-19, abriu uma licitação “para pagar artistas para promover eventos durante a pandemia”. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:
“O governo da Paraíba recebeu ajuda emergencial de R$ 11 milhões do governo federal. Bom, a lógica é pensar que o governador abriu UTIs, comprou respiradores ou comprou leitos em hospitais particulares. Só que não. O governo abriu licitação paga pagar artistas para promover eventos durante a pandemia”Trecho de texto publicado no site Publica Brasil na manhã do dia 2 de abril de 2020 que, até as 18h30 do dia 3 de abril, tinha sido compartilhado por mais de 1,6 mil pessoas
Falso
A informação verificada pela Lupa é falsa. O governo da Paraíba não utilizou verba emergencial para contratar artistas. Em março, o estado recebeu R$ 11.605.736,52 do Ministério da Saúde para ações de enfrentamento à Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A Comissão Intergestores Bipartite da Paraíba, órgão que reúne representantes das secretarias estadual e municipais de saúde, destinou R$ 210 mil do montante total à Secretária de Saúde do Estado da Paraíba e distribuiu o restante (R$ 11,4 milhões) aos 223 municípios.
De acordo com a declaração da comissão, a verba deve ser utilizada para “aquisição de insumos a fim de garantir atendimento nas Unidades de Saúde que estão atuando no enfrentamento da pandemia” de Covid-19. A assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde informou que os valores já foram repassados às cidades.
A Paraíba tem, no momento, dois editais culturais abertos. Segundo a assessoria da Secretaria de Saúde da Paraíba, os editais “não tem qualquer relação com a Secretaria de Estado da Saúde” ou com a verba recebido do governo federal.
O “#CulturaPBnaWeb”, realizado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), oferece 65 vagas para propostas artísticas como repente, teatro de bonecos e performances. Os projetos selecionados vão receber cachê de até R$ 1 mil. No total, a Secult deve pagar R$ 60 mil.
Já a Fundação Espaço Cultural (Funesc) lançou, na terça-feira (31), o edital “Meu Espaço – Compartilhando Cultura”, com 105 vagas, para promover a cultura durante o isolamento domiciliar. Cada artista selecionado vai receber R$ 1 mil. As produções serão exibidas nas redes sociais do governo durante o período de isolamento. No total, a Funesc deve pagar R$ 105 mil. Além de a fonte desse dinheiro não ser o governo federal ou a Secretaria Estadual de Saúde, o montante total a ser gasto com essas ações, R$ 165 mil, representa menos de 2% dos R$ 11,6 milhões transferidos.
Atualização às 12h do dia 6 de abril de 2020: O site Publica Brasil corrigiu a informação após a publicação desta matéria.
Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


14.06.2024 - 18h04
Educação
Lula criticou acesso difícil ao dizer que ‘universidade foi feita para ricos, não para pobres’

Vídeo mostra trecho de discurso do presidente Lula afirmando que as universidades foram feitas para ricos, não para pobres. O post tem sido compartilhado como se o político criticasse as cotas para pessoas de baixa renda e quilombolas. Falta contexto. No pronunciamento, o presidente disse que as oportunidades de acesso ao ensino superior não são iguais para todos.

Evelyn Fagundes
14.06.2024 - 17h38
Política
Vereador do PT foi preso por posse irregular de arma, não por desviar doações no RS

Circula nas redes um post dizendo que um vereador de Palmares do Sul (RS), filiado ao PT, foi preso por desviar doações destinadas ao Rio Grande do Sul. É falso. O vereador Filipe Lang (PT), um dos alvos de uma operação da Polícia Civil, foi detido em flagrante, mas por posse irregular de arma de fogo. O parlamentar foi liberado após pagar fiança.

Ítalo Rômany
14.06.2024 - 11h04
Política
É falso que relatório de CPI provou que Lula premeditou atos de 8 de janeiro

Circula nas redes post afirmando que o presidente Lula tinha conhecimento dos atos golpistas de 8 de janeiro — e que, portanto, o petista premeditou o crime. A prova seria o relatório final da CPI dos Atos Antidemocráticos do DF. É falso. Em nenhum momento o texto associa o nome do petista aos ataques ou o coloca entre os indiciados pelo crime.

Ítalo Rômany
13.06.2024 - 19h52
Política
Lula não disse que “a borracha vai cantar” sobre professores em greve

Circula nas redes um vídeo que mostra uma imagem do presidente Lula fazendo um discurso. O post contém a seguinte frase: “Lula manda recado: professores acabem com essa greve, senão a borracha vai cantar”. É falso. A foto se refere a um pronunciamento feito no dia 10 deste mês, mas a fala presente na legenda do conteúdo não foi feita pelo político.


Evelyn Fagundes
13.06.2024 - 17h18
Segurança pública
É falso que lei federal exige guarnições para atender a população LGBT+

Vídeo mostra foto de uma viatura da polícia militar na cor lilás. Segundo o áudio do vídeo, uma lei federal determinou que esse tipo de veículo deveria ser adotado pelas polícias e forças armadas para o atendimento à população LGBT+. É falso. A imagem foi feita no Piauí e se refere aos veículos utilizados na patrulha de combate à violência contra a mulher.

Evelyn Fagundes
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital