UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Sites distorcem comunicado da Renner sobre fechamento de lojas por Covid-19
20.04.2020 - 19h29
Rio de Janeiro - RJ
Circula nas redes sociais que a Lojas Renner anunciou “na última quinta-feira” o fechamento de suas lojas físicas por tempo indeterminado. As publicações foram feitas nos dias 19 e 20 de abril. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:
“A Lojas Renner anunciou nesta quinta-feira [o fechamento de suas lojas]”
Texto publicado pelo site FolhaMax que, até às 18h do dia 20 de abril de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 240 pessoas no Facebook
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. A Lojas Renner anunciou que iria fechar suas lojas físicas no dia 19 de março –  e não na última quinta-feira, 16 de abril. A empresa decidiu suspender as operações a partir de 20 de março, por tempo indeterminado, como uma medida de segurança contra a pandemia de Covid-19.
A decisão vale para todas as lojas Renner no Brasil, no Uruguai e na Argentina, além das lojas Camicado, Youcom e Ashua, que integram a rede da marca. Segundo a empresa, a medida foi tomada para prevenir “a integridade” de colaboradores, clientes, fornecedores e comunidade, levando em consideração a disseminação do vírus SARS-Cov-2, que causa a Covid-19.
A assessoria de imprensa da Lojas Renner informa que a empresa foi a primeira varejista têxtil a fechar lojas para impedir a disseminação do vírus e que as unidades serão abertas “quando houver condições de segurança sanitária para isso, bem como a liberação pelas autoridades competentes.”

“A Lojas Renner anunciou (…) o fechamento, por tempo indeterminado, de todas suas lojas físicas de Brasil, Uruguai e Argentina, em shoppings ou em ruas, a partir de sexta-feira. A medida também inclui as marcas Camicado, Youcom e Ashua”
Texto publicado pelo site FolhaMax que, até às 18h do dia 20 de abril de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 240 pessoas no Facebook
Verdadeiro, mas...
No final de março, a Lojas Renner anunciou o fechamento, por tempo indeterminado, de suas lojas físicas da Renner (Brasil, Uruguai e Argentina), Camicado, Youcom e Ashua. Contudo, o texto publicado em diversos sites não informa que essa decisão foi tomada para conter a disseminação do vírus SARS-Cov-2, que causa a Covid-19. As lojas foram fechadas no dia 20 de março e serão abertas novamente quando houver condições sanitárias adequadas, segundo a empresa.

“As lojas online no Brasil continuarão funcionando, com número reduzido de colaboradores, apenas para prestar serviço, “sanando possíveis necessidades de consumo de nossos clientes”, afirmou a companhia”
Texto publicado pelo site FolhaMax que, até às 18h do dia 20 de abril de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 240 pessoas no Facebook
Verdadeiro
Enquanto as lojas físicas permanecem fechadas para conter a disseminação da Covid-19, os consumidores podem continuar comprando nas lojas online da empresa. A assessoria de imprensa da Lojas Renner informa que a venda online está disponível para sanar possíveis necessidades dos clientes. Além disso, a empresa comunicou que trabalha com um número reduzido de colaboradores, mas que decidiu não demitir sem justa causa. Os funcionários estão trabalhando em home office._
Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌_projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


18.06.2024 - 13h25
Meio Ambiente
É falso que pesquisa da Nasa desmente ambientalistas

Circula pelas redes sociais que um estudo da Nasa teria mostrado que a agricultura brasileira ocupa apenas 7,6% do território nacional. Esse dado seria uma forma de desmentir ambientalistas e provar que existe “pressão e manipulação” no setor agro do país. É falso. A pesquisa é antiga e não considera as áreas de pastagens.

Carol Macário
18.06.2024 - 13h22
Política
É falso que vídeo mostra ‘ministro de Lula’ roubando dinheiro em culto

Post traz um vídeo no qual um homem aparentemente retira dinheiro de uma sacola durante coleta de ofertas em um culto. A legenda diz que o homem seria um ‘ministro de Lula’. É falso. O vídeo foi invertido e está sendo exibido de trás para frente. Além disso, quem aparece nas imagens é o ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes.

Catiane Pereira
17.06.2024 - 18h12
Política
Condenação anulada pelo TSE não permite que Bolsonaro concorra em 2026

Circulam nas redes sociais publicações afirmando que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) anulou uma condenação contra Jair Bolsonaro (PL). Falta contexto. Embora isso tenha ocorrido, o ex-presidente continua inelegível até 2030 devido a outras duas condenações na Corte.


Gabriela Soares
17.06.2024 - 17h28
Polícia
É falso que polícias emitiram alerta por ‘saidinha’ de 50 mil presos

Post alega que as polícias estão alertando as pessoas para andarem com carros fechados, vidros travados, evitar passear a pé com crianças e não andar com celular na mão porque 50 mil presos saíram da prisão na "última saidinha”. É falso. Nenhuma força de segurança dos estados divulgou alerta sobre saída de presos. 

Maiquel Rosauro
17.06.2024 - 16h48
Internacional
Proposta de Milei que proíbe condenados por corrupção de se candidatar não foi aprovada

Post alega que o presidente da Argentina, Javier Milei, anunciou que condenados por corrupção não poderão concorrer como candidatos nas eleições nacionais. Falta contexto. A iniciativa faz parte de um projeto de lei que ainda não foi enviado ao Congresso. A proposta visa proibir condenados por corrupção em 2ª instância de se candidatar.

Maiquel Rosauro
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital