UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que quem dirigir sem máscara pode perder pontos na carteira de motorista
30.04.2020 - 10h55
Rio de Janeiro - RJ
Circula no WhatsApp uma publicação afirmando que a Guarda Municipal e a Polícia Militar estão multando ocupantes de veículos que não estiverem usando máscaras de proteção contra o novo coronavírus, causador da Covid-19. De acordo com o texto, isso resultaria em uma multa de R$ 128 por pessoa e 3 pontos na carteira de motorista. A punição também valeria para os motociclistas. Essa sugestão foi encaminhada por um leitor pelo formulário LupaAqui, no qual é possível recomendar conteúdos para verificação. Confira a análise da Lupa:
“Guarda Municipal e Polícia Militar estão multando quem estiver dirigindo sem máscara e quem estiver dentro do carro a multa custa $ 128 reais por pessoas (sic). Todos devem usar máscara dentro do carro! Multa vem como dirigir sem uso de itens de segurança .3 pontos na carteira. Isso serve para motos também. Quem puder compartilhar para ajudar, tem muitos que não sabem”Texto da mensagem que circulava no WhatsApp em 30 de abril de 2020
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. Em nota, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) afirmou que “não existe previsão legal para a multa e perda de pontos na carteira de motorista no Código de Trânsito Brasileiro, e nem a partir de nenhuma regulamentação do Denatran e/ou deliberação do Contran, para esta situação” – ou seja, para quem não estiver usando máscaras.
Mesmo que não seja possível identificar a qual cidade a mensagem se refere, a lei de trânsito é válida para todo o território nacional e está acima de qualquer regulamentação estadual ou municipal. Ou seja, o que é definido como infração de trânsito é regulado pela União – e não pelos municípios ou estados. A possibilidade de multa e punição com pontos na carteira para quem não utilizar máscara protetora dentro do veículo não existe no Brasil.
Alguns estados e municípios têm leis próprias que tornaram o uso de máscaras obrigatório. No Paraná, por exemplo, as máscaras devem ser utilizadas em espaços públicos ou de uso coletivo, além do transporte público de passageiros – ônibus, trens, aviões, táxis e aplicativos de transporte –, mas não existe obrigatoriedade para carros ou motos de passeio. A multa para quem descumprir a regra pode chegar a R$ 533. Mesmo assim, a prefeitura de Curitiba precisou desmentir a informação de que motoristas poderiam ser multados, nas redes sociais.
Desde o dia 23 de abril, o uso de máscaras também é obrigatório na cidade do Rio de Janeiro, mas pessoas físicas não podem ser multadas. Apenas estabelecimentos estão sujeitos à multa. A partir de 4 de maio, o uso de máscaras será obrigatório no transporte público do estado de São Paulo.
O uso de máscaras pode servir como uma barreira eficaz contra a disseminação do novo coronavírus, mas precisa estar aliado a outras medidas, como higienização das mãos e produtos, além da continuação do distanciamento social.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


11.04.2024 - 15h23
Política
G1 não noticiou que influenciador foi multado por curtir comentário de Elon Musk contra Alexandre de Moraes

Circula nas redes sociais um post que aparenta ser uma publicação feita pelo G1 no X, antigo Twitter. Segundo a publicação, um influenciador teria sido multado por curtir um post do empresário Elon Musk que criticava o ministro Alexandre de Moraes, do STF. É falso. Trata-se de uma montagem. Em nota, o portal disse que não publicou tais afirmações.

Evelyn Fagundes
11.04.2024 - 15h14
Saúde
É falso que Lula tenha recusado comprar vacina contra dengue existente há anos

Vídeo afirma que a vacina contra a dengue existe há anos, mas que o presidente Lula negou a aquisição do imunizante. É falso. Não cabe a ele a decisão de incluir uma vacina ao SUS. Questões de segurança foram consideradas pelo Ministério da Saúde para não incluir a Dengvaxia, aprovado pela Anvisa em 2015, na estratégia de prevenção à dengue.

Gabriela Soares
11.04.2024 - 15h05
Saúde
Anvisa não aprovou remédio ‘100dores’ para tratar dores nas articulações

Publicações mostram trechos de telejornais que supostamente recomendavam medicamentos para dores nas articulações. É falso. As gravações que mostram trechos do Cidade Alerta, da Record, e do Fantástico, da Globo, foram manipuladas. Os medicamentos não têm aprovação da Anvisa.

Catiane Pereira
10.04.2024 - 17h03
Política
É falso que evento de Lula no Parque Dona Lindu, em Recife, não teve público

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra a parte externa do Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu, em Recife (PE). O post alega que um evento realizado no local com a presença do presidente Lula (PT) não teve público, uma vez que o parque estava vazio. É falso. A cerimônia foi realizada na parte interna do teatro, não na parte externa.

Evelyn Fagundes
10.04.2024 - 16h01
Política
Não é filho de Lula homem que agride mulher em vídeo viral

Circula pelas redes sociais um vídeo em que um homem agride uma mulher com tapas, socos, empurrões e pontapés. A legenda sugere que o agressor seria Lulinha, filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). É falso. O criminoso, que já foi identificado pela polícia, se chama Gabriel da Silva Teixeira, da região de Samambaia, no Distrito Federal.

Carol Macário
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital