UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Presidente de Madagascar não disse que OMS ofereceu suborno para envenenar ‘cura da Covid-19’
03.06.2020 - 20h00
Rio de Janeiro - RJ
Circula nas redes sociais que o presidente de Madagascar teria acusado a Organização Mundial da Saúde (OMS) de oferecer um suborno de US$ 20 milhões para “envenenar a cura da Covid-19”. Andry Rajoelina, presidente do país africano, defende, sem embasamento científico, que um chá feito com ervas locais é a cura para a doença. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:
“Presidente de Madagáscar denúncia que a OMS ofereceu um suborno de $ 20 milhões de dólares para envenenar a cura COVID-19 baseada na planta”
Texto que circula pelo Facebook que, até às 19h do dia 3 de junho de 2020, tinha sido compartilhado por mais 200 pessoas
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. O presidente de Madagascar, Andry Rajoelina, não afirmou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) ofereceu um suborno para envenenar a “cura” da Covid-19. Não foi possível encontrar essa “denúncia” nas redes sociais do presidente (Twitter, Facebook e Instagram). Além disso, o próprio Rajoelina negou boato que circula pelas redes.
No dia 20 de maio, o presidente de Madagascar afirmou que teve uma conversa “bem sucedida” com o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que teria elogiado os esforços do país na luta contra o novo coronavírus. Na ocasião, Rajoelina disse que a OMS assinou um cláusula de confidencialidade sobre a formulação da Covid Organics (CVO) – uma bebida à base de plantas. Ele disse ainda que a organização iria apoiar o país na observação dos testes clínicos com a bebida.
Lançada em abril, a bebida – feita com uma planta chamada artemísia – é defendida por Rajoelina como uma forma de tratamento da Covid-19. Ele afirma que o chá já curou diversas pessoas e chegou a provar publicamente para mostrar que ela não mataria seus consumidores.
Em maio, o presidente disse o seguinte: “Vamos tomar este chá de ervas para nos proteger, proteger nossa família e nossos vizinhos […] e não haverá mais mortes”. A bebida vem sendo distribuída na ilha africana em duas formas: engarrafada ou como erva para fazer um chá.
Contudo, vale ressaltar que não existe uma comprovação científica de sua eficácia. Além disso, existe a preocupação de que seu consumo possa ser prejudicial a saúde, em especial dos mais jovens.
A informação que o presidente de Madagascar teria acusado a OMS circulou em diversos países, e também foi checada pela AFP, na França, Facta, da Itália, Africa Check, que atua em vários países do continente africano.
Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


23.02.2024 - 15h44
Política
É falso que general colocará 25 mil soldados na av. Paulista em apoio a ato de Bolsonaro

Circula nas redes um vídeo em que um homem afirma que um general do “20° Batalhão de Suprimento do Estado de São Paulo” teria afirmado que colocará 25 mil soldados em apoio ao ato de 25 de fevereiro convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro. É falso. O vídeo foi manipulado. No registro original, o homem informa que o conteúdo é falso.

Gabriela Soares
23.02.2024 - 13h57
Política
Vídeo de Bolsonaro erguendo cartaz ‘Globo Lixo’ é de 2021 e foi feito no Paraná, não em frente à PF

Circula nas redes sociais vídeo que, segundo legenda, mostraria o ex-presidente Jair Bolsonaro deixando a sede da PF, em Brasília, após prestar depoimento na quinta (22) sobre uma suposta tentativa de golpe de Estado. O registro mostra Bolsonaro levantando um cartaz com a frase “Globo lixo”. O vídeo é antigo. Imagens  são de 2021, em Cascavel (PR).

Ítalo Rômany
22.02.2024 - 12h27
Saúde
Brasileiro que testou ivermectina não foi premiado como ‘melhor médico cientista do mundo’

Circula no WhatsApp que um médico brasileiro teria ganhado o título de “Melhor Cientista Médico do Mundo” pelo teste com ivermectina para prevenir e tratar a Covid-19. É falso. O brasileiro foi condecorado por um grupo que defende tratamentos comprovadamente ineficazes. O estudo citado com ivermectina não comprovou a eficácia do antiparasitário.

Carol Macário
21.02.2024 - 20h28
Segurança pública
Fuga de 17 presos no Piauí foi em penitenciária estadual, não federal

Vídeo aborda as fugas de presos no Piauí e em Rondônia. Segundo o post, esses acontecimentos teriam relação com o ministro Ricardo Lewandowski, uma vez que, ainda neste mês, dois detentos fugiram da Penitenciária de Mossoró. É falso. Ao contrário da unidade de Mossoró, que é federal, as prisões do Piauí e de Rondônia são de administração estadual.

Evelyn Fagundes
21.02.2024 - 16h42
Saúde
Repelente caseiro com cravo-da-índia, álcool e óleo corporal não tem eficácia contra dengue

Circula nas redes vídeo de um bombeiro ensinando uma receita de repelente caseiro com cravo-da-índia, álcool e óleo corporal para repelir o mosquito da dengue. Não há comprovação científica. Repelentes precisam ter o aval da Anvisa e seguir as orientações descritas na rotulagem do produto. Especialistas negam eficácia de repelentes caseiros

Ítalo Rômany
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital