UOL - O melhor conteúdo
Lupa
OMS não disse que CoronaVac ‘não foi testada em nenhum lugar do mundo’
18.06.2020 - 19h07
Rio de Janeiro - RJ
Circula nas redes sociais que a Organização Mundial da Saúde (OMS) teria admitido que a vacina CoronaVac, produzida pela farmacêutica chinesa Sinovac, não foi testada em nenhum lugar do mundo. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:
“OMS admite que VACINA CHINESA não foi testada em lugar nenhum do mundo e João Doria, vai testar nos “Paulistas”…”
Texto de imagem que, até às 18h do dia 18 de junho de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 400 pessoas
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. A Organização Mundial da Saúde (OMS) não admitiu que a vacina CoronaVac, criada pela farmacêutica chinesa Sinovac, não foi testada em nenhum país. Em seu site, a organização mantém um documento para rastrear as vacinas criadas para combater a Covid-19, informando a fase em que cada uma se encontra. Nele, a OMS informa que a CoronaVac já passou pela primeira e segunda fase de ensaios clínicos, com humanos. Os links indicados pela OMS mostram que a vacina foi testada na China.
Também está incorreto afirmar que a vacina produtiva pelo laboratório chinês não foi testada em humanos. Esse boato já foi desmentido pela Lupa nesta quinta-feira (18). Ao todo, 743 voluntários com idades entre 18 e 59 anos participaram das duas fases do teste clínico. Em seu site, a empresa afirma que não houve “eventos adversos” durante as etapas e que os resultados, até o momento, são positivos. Contudo, vale ressaltar que os resultados da pesquisa ainda não foram divulgados publicamente e revisados.
Os boatos envolvendo a CoronaVac começaram a circular na semana passada, quando o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou que o Instituto Butantan, em uma parceria com a Sinovac, iria testar a vacina no Brasil. O instituto vai auxiliar na terceira e última fase de ensaios clínico da vacina chinesa, contando com mais de 9 mil voluntários.
Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


12.04.2024 - 17h28
Eleições
Musk não entregou aos EUA provas de interferência de Moraes nas eleições

Publicação nas redes sociais alega que Elon Musk entregou às autoridades dos Estados Unidos documentos evidenciando a interferência do ministro Alexandre de Moraes, do STF, nas eleições de 2022. É falso. Não há nenhum registro sobre o fato. Além disso, um especialista em Direito Constitucional afirma que tal ação não teria efeito prático no Brasil.

Maiquel Rosauro
12.04.2024 - 17h02
Política
É falso que Elon Musk conseguiu o impeachment de Alexandre de Moraes

Circula nas redes um vídeo do deputado federal Gustavo Gayer (PL-GO), que estaria comemorando o impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, após o empresário Elon Musk pedir o afastamento do magistrado. É falso. O vídeo mostra Gayer comemorando a aprovação da PEC que limita decisões monocráticas no STF.

Catiane Pereira
12.04.2024 - 16h16
STF
É de 2016 vídeo sobre ação da PF que cita Alexandre de Moraes; caso foi arquivado

Circula nas redes um vídeo que mostra que o nome do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes apareceu em documentos apreendidos pela PF de uma empresa investigada em esquema de fraude. Falta contexto. O vídeo é antigo, de 2016. Pagamentos à firma de Moraes foram para honorários advocatícios. O caso foi arquivado.

Ítalo Rômany
12.04.2024 - 15h13
Política
É falso que Moraes tenha ‘censurado’ o jornalista Augusto Nunes

Circula nas redes sociais um vídeo em que um homem alega que o jornalista Augusto Nunes teria sido censurado pelo Supremo Tribunal Federal em um processo liderado pelo ministro Alexandre de Moraes. É falso. A Suprema Corte negou que exista uma decisão desse gênero em vigor.


Evelyn Fagundes
12.04.2024 - 14h21
Política
É antigo vídeo no qual Cármen Lúcia fala sobre liberdade de expressão

Um vídeo no qual a vice-presidente do TSE, Cármen Lúcia, fala sobre ‘censura’ em uma sessão da corte circula com uma legenda que insinua que ela estaria se posicionando contra o ministro Alexandre de Moraes em sua disputa com o empresário Elon Musk. É falso. O vídeo é de 2022. A sessão do TSE tratou sobre desmonetização de canais no YouTube.

Catiane Pereira
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital