UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Perfil falso do Ministério da Saúde tenta roubar dados de usuários no Instagram
26.01.2021 - 17h56
Rio de Janeiro - RJ
No Instagram, um perfil falso do Ministério da Saúde está solicitando dados pessoais de usuários da rede social para, supostamente, iniciar um “processo de cadastro” para a vacinação contra a Covid-19. Os dados podem estar sendo utilizados para fins criminosos. O nome utilizado é bastante similar ao da conta oficial do ministério na plataforma, @minsaude, e usa o mesmo avatar. Vários posts foram copiados do perfil oficial, para dar credibilidade. Por e-mail, a assessoria de imprensa do Instagram informou que o perfil foi excluído da plataforma após a publicação desta reportagem.
A assessoria de imprensa do ministério informou à Lupa que o perfil não tem nenhuma relação com a pasta. “O Ministério da Saúde esclarece que não realiza agendamento para aplicação de nenhum tipo de vacina, e nem envia códigos para celular dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Caso receba solicitação de cadastro, não forneça seus dados e denuncie às autoridades competentes”, informou a pasta.
Nesta terça-feira (26), usuários do Instagram receberam uma mensagem da conta solicitando o nome completo e o número com DDD para realizar um cadastro para a vacinação contra o novo coronavírus. O texto encaminhado promete que, assim que os dados forem fornecidos,o usuário estará habilitado a receber o imunizante. Esse é um golpe para roubar dados de usuários mais desatentos.
Até o momento, o perfil fake publicou um total de 42 imagens em seu feed do Instagram. Todas as publicações foram realizadas na última quinta-feira (21). Para dar credibilidade, a conta utilizou posts da conta oficial do Ministério da Saúde. A última ilustração postada, por exemplo, falava sobre o uso correto da máscara. Essa imagem havia sido publicada pela conta oficial do ministério no dia 10 de janeiro.
O presidente da SaferNet (ONG referência na promoção e defesa dos direitos humanos na Internet no Brasil), Thiago Tavares, afirma que o perfil fake do Ministério da Saúde foi criado para a prática de phishing. Esse conceito é usado para identificar um golpe no qual os golpistas tentam obter dados pessoais e financeiros de um usuário, pela utilização combinada de meios técnicos e engenharia social. No caso do perfil falso do Ministério da Saúde, por exemplo, os dados coletados podem ser utilizados para criar uma lista de contatos para o envio de links maliciosos via SMS ou Whatsapp.
Em seu Instagram, a SaferNet publicou um vídeo dando dicas para evitar cair em golpes semelhantes. A organização afirma, por exemplo, que é necessário ter atenção a “mensagens e contas que dizem representar grandes empresas, organizações ou figuras públicas, mas que não são verificadas, não possuem um número considerável de posts ou seguidores e/ou são privadas”. Esse foi o caso do perfil fake do Ministério da Saúde. Veja o vídeo na íntegra:

Cadastro real

Embora o cadastro sinalizado nesta reportagem seja falso, atualmente, o Ministério da Saúde recomenda a inscrição no aplicativo do Conecte SUS para brasileiros acompanharem a sua imunização contra a Covid-19. Segundo a pasta, pelo aplicativo o usuário consegue visualizar o tipo de vacina aplicada, o lote de fabricação e a data em que a dose foi tomada.
Para realizar o cadastro, o usuário deve entrar na loja de aplicativos do seu smartphone ou tablet e fazer o download de forma gratuita. O registro também pode ser feito em qualquer computador com acesso à internet através do site do Conecte SUS. Em seguida, o usuário precisa se cadastrar no sistema utilizando o número do CPF ou da Carteira Nacional de Saúde para ter acesso à plataforma.
Embora o cadastro seja recomendado pelo ministério, ele não é obrigatório para a vacinação contra a Covid-19. “Caso você não tenha o aplicativo, é só levar ao posto de saúde um documento de identificação com número do CPF, na hora em que você for convocado para tomar a dose, de acordo com os grupos prioritários. No local, também poderá ser feito o cadastro na base de dados do Ministério da Saúde, caso seja necessário”, esclarece a assessoria do ministério.
Atualização às 12h50 do dia 27 de janeiro de 2021: Por e-mail, a assessoria de imprensa do Instagram informou que a conta pirata foi removida.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Reportagem
Conteúdo investigativo que aborda temas diversos relacionados a desinformação com o objetivo de manter os leitores informados.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


28.05.2024 - 12h02
Internacional
Rússia usa X e Telegram para mentir e atacar vencedor do Oscar na América Latina

'20 dias em Mariupol' irritou a diplomacia russa e é alvo de desinformação que circula na América Latina. Ao atacar o premiado documentário, Moscou quer negar o inegável. Diz que o hospital materno-infantil que atacou estava vazio, repetindo tática desinformativa que marcou ações em Bucha e em torno do ato terrorista no Crocus Hall.

Catalina Roig
27.05.2024 - 17h24
Teorias conspiratórias
De Chuva artificial a lockdown climático: posts geram caos sobre enchentes no RS

Teorias conspiratórias sobre as enchentes no Rio Grande do Sul não param de circular nas redes: desde posts afirmando que as chuvas foram "fabricadas em laboratórios" e pulverizadas por aviões, até um complô global. Publicações alarmistas disseminam, sem provas, que os próximos passos dessa conspiração serão desapropriação e "lockdown climático".

Ítalo Rômany
24.05.2024 - 16h27
Redes sociais
Acordo entre AGU e plataformas só prevê medidas genéricas contra fakes no RS

Um protocolo de intenções assinado pela Advocacia-Geral da União (AGU) e plataformas de redes sociais traz medidas genéricas e deixa a cargo das empresas a decisão de como vão agir para combater fakes sobre a tragédia no Rio Grande do Sul. À Lupa, a AGU disse que o acordo é apenas um ponto de partida para uma cooperação mais sólida.

Leandro Becker
23.05.2024 - 15h31
Clima
Negacionistas associam enchentes no RS a ‘arma ultrassecreta’ chamada Haarp

Inundações, como as ocorridas no Rio Grande do Sul, têm sido alvo de teorias conspiratórias nas redes, atribuindo sua causa a uma suposta 'arma ultrasecreta' conhecida como Haarp. Posts afirmam que esse projeto tem como objetivo dizimar partes do mundo para fins econômicos. Não há qualquer embasamento que prove esses boatos.

Ítalo Rômany
22.05.2024 - 15h02
Redes sociais
Moraes diz que basta interpretação do STF para responsabilizar big techs

O ministro do STF Alexandre de Moraes voltou a cobrar nesta quarta-feira (22) uma regulamentação urgente das plataformas digitais. Para ele, bastaria um artigo de lei ou uma interpretação para encerrar o assunto. Moraes defendeu que isso poderá ser possível no momento em que STF julgar a constitucionalidade do artigo 19 do Marco Civil da Internet.

Ítalo Rômany
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital