UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Mourão não escreveu artigo no Estadão fazendo críticas ao STF e elogios a Bolsonaro
28.01.2021 - 18h19
Rio de Janeiro - RJ
Circula nas redes sociais um texto atribuído ao vice-presidente da República, Hamilton Mourão, que teria sido publicado no jornal O Estado de São Paulo. No artigo, Mourão faz críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF), em relação à obrigatoriedade da vacina da Covid-19, e aos governadores e prefeitos pelas medidas adotadas durante a pandemia. Por último, afirma que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), diante do cenário atual, é “a única opção” que o país tem. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação:
“Saiu no Estadão de hoje.
Vale a pena a leitura e a reflexão ??
Antonio Hamilton Martins Mourão
VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA
Não vi nosso presidente proibir nem obrigar ninguém a se vacinar… Mas vi uma suprema corte decidir que quem não se vacinar perderá direitos…
Não vi os laboratórios solicitarem aprovação do órgão técnico (ANVISA) para poderem comercializarem suas vacinas aqui… Mas os vi solicitarem que os governos assinem um termo que os isentem de responsabilidades se surgirem efeitos colaterais graves/desconhecidos…
Vi um presidente que optou por não se vacinar e não mentiu para sua população… Mas vi autoridades fingirem que se vacinaram…
Vi autoridades proibindo uso de droga muito conhecida e segura… Mas as vi tomarem (e se auto prescreverem!!!) quando adoeceram…
Não vi ninguém chamar o Mandeta de genocida por ter dado a pior orientação possível de toda essa epidemia… Mas vejo muitos chamarem o presidente por não fazer lockdown, embora tenha sido facultado a prefeitos e governadores o combate a COVID de maneira que lhes parecesse melhor…
Não ouvi críticas incisivas e diárias sobre a compra de respiradores que não funcionaram, superfaturamento e nem de hospitais de campanha que não funcionaram… Mas vejo críticas ferozes por qualquer declaração do presidente…
Vi o presidente ser chamado de inabil por não negociar com o congresso… e depois de fazer concessões a este para poder governar…
Vi uma suprema corte legislar e governar, mas deixar caducar processos…
Não vi petistas/esquerdistas abandonarem o barco nem quando ficou PROVADO o quanto Lula tinha roubado… Mas vejo a direita conservadora diminuir seu apoio a um presidente que não rouba mas que não é politicamente correto…
Vi um presidente sozinho contra o mundo tentando repatriar sua floresta e acaber [sic] com a exploração estrangeira… Mas só vi noticiado que era um incendiário…
Não vi tanta indignação quando o filho do Lula se transformou de estagiário de zoológico a grande empresário… Mas vi discursos inflamados contra o Presidente porque seu filho teria feito a famosa “rachadinha” (aliás, incluída no estatuto do PT!)…
Vi pessoas serem presas por caminharem sem máscaras nas ruas e ameçadas [sic] de prisão para quem ousasse passar o Natal em família… Mas vi criminosos serem soltos para que pudessem passar com as suas…
Vejo uma parcela da população que não aceitou o resultado da eleição até hoje ser chamada de democrática e um presidente que luta para manter a liberdade individual, armar a população e diminuir o poder do estado ser chamado de fascista…
Vejo pessoas cujo estilo de vida é atacado pela esquerda que quer literalmente destrui-lo virando as costas para o único homem de coragem que apareceu por aqui para defender a família, o trabalho e a liberdade…
Aí eu te pergunto, inteligência: o que tu queres para a tua vida? Para a vida dos teus filhos? Que futuro tu achas que pode existir com Maias, Ciros, Haddads e Amoedos????
?????
Entendam de uma vez por todas que Bolsonaro não é a melhor opção… Ele é a ÚNICA opção!!!”
Texto atribuído ao vice-presidente Hamilton Mourão, compartilhado no WhatsApp
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. Em nota, a assessoria de comunicação do vice-presidente Hamilton Mourão informou que ele não é o autor do texto. Não há nenhum artigo similar publicado no jornal O Estado de São Paulo, atribuído a Mourão ou a outra pessoa. O texto tampouco consta nas redes sociais do vice-presidente (Twitter e Facebook).
É importante notar que o texto não está escrito dentro das normas formais da língua portuguesa. Ao final de cada frase, por exemplo, há reticências, e não a pontuação adequada, e há diversas palavras grafadas de maneira incorreta. O texto traz, ainda, informações falsas, incluindo que existe tratamento eficaz para a Covid-19 e que autoridades fingiram ter se vacinado. Dificilmente um texto com essas características seria publicado em um jornal de grande circulação.
Apesar de não tecer críticas a Bolsonaro, Mourão, em entrevista à CNN Brasil na terça-feira (26), afirmou sentir falta de ter um diálogo mais frequente com o presidente. “Não há conversas seguidas entre nós. As conversas são bem esporádicas. (…) Faz falta, sim. Faz falta até para eu entender em determinados momentos o que eu preciso fazer”. À Rádio Bandeirantes, na quarta-feira (27), o vice-presidente também disse que não vê possibilidade para o impeachment de Bolsonaro. Afirmou ainda que gostaria de participar mais das decisões do governo.
Checagem similar foi feita por Aos Fatos.
Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


22.05.2024 - 12h12
Enchentes no RS
Exército não montou tendas para atender equipe do Jornal Nacional no RS

Circula nas redes o trecho de podcast em que voluntários no RS afirmam que o Exército montou duas tendas para atender exclusivamente a equipe do Jornal Nacional. É falso. As tendas foram montadas para apoiar as vítimas das enchentes, e a imprensa apenas acompanhou o processo. Em vídeo, as voluntárias esclareceram o engano. 


Gabriela Soares
22.05.2024 - 11h42
Enchentes no RS
É falso que avião da Força Aérea dos EUA pousou no RS com toneladas de doações

Circula pelas redes sociais um vídeo afirmando que uma aeronave da Força Aérea dos EUA (USAF) pousou no Rio Grande do Sul com toneladas de donativos. É falso. O consulado americano e a embaixada dos Estados Unidos desmentiram o boato.


Gabriela Soares
21.05.2024 - 18h50
Rio Grande do Sul
Não é do RS vídeo viral de enchente que invade estrada; imagens são do Japão

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra carros desviando de uma enxurrada que alaga uma estrada e casas sendo levadas por uma inundação. A legenda afirma: “enchente capturada por câmera de segurança - RS”. É falso. A gravação não foi feita no Rio Grande do Sul, mas no Japão, em 2011, durante um tsunami registrado após um terremoto.

Evelyn Fagundes
21.05.2024 - 17h44
Rio Grande do Sul
É falso que ministro Paulo Pimenta não bebeu água de purificador enviado ao RS

Circula pelas redes sociais que o ministro Paulo Pimenta, da Secretaria de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, não bebeu a água filtrada por um dos purificadores enviados pelo governo federal ao Rio Grande do Sul. É falso. O vídeo  omite o trecho no qual o ministro aparece de fato bebendo água.

Catiane Pereira
21.05.2024 - 14h39
Política
Falta contexto ao post sobre deputados gaúchos que votaram contra anistia da dívida do Estado

Post alega que sete deputados RS votaram contra uma emenda que anistiava as parcelas da dívida do Estado pelos próximos 36 meses. Falta contexto. Os parlamentares votaram contra duas emendas nesse sentido, mas votaram a favor do projeto que permitirá ao Estado direcionar cerca de R$ 11 bilhões para ações de reconstrução.

Maiquel Rosauro
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital