UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que Maria Flor ‘abocanhou’ R$ 10 milhões com projetos via Lei Rouanet
29.01.2021 - 19h44
Rio de Janeiro - RJ
Circula pelas redes sociais que a atriz Maria Flor teria recebido R$ 10 milhões em projetos culturais viabilizados pela Lei de Incentivo à Cultura, a Lei Rouanet. A publicação sugere que esse valor foi recebido durante as gestões do PT e que isso explicaria o “desespero” da artista — em 18 de janeiro, ela publicou um vídeo em seu perfil no Instagram fazendo críticas ao governo atual. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:
“Você sabia que a Maria Flor abocanhou 10 milhões de reais com projetos artísticos da Lei Rouneat (sic) nos governos Petistas? Tá explicado o desespero.”
Post publicado no Instagram que, até as 15h30 do dia 29 de janeiro de 2021, tinha recebido mais de 1.973 curtidas
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. Maria Flor nunca recebeu recursos da Lei Rouanet para realização de projetos culturais, tampouco a produtora da qual é uma das sócias, a Fina Flor Filmes. A Fina Flor Filmes já viabilizou a realização de obras por meio da Lei do Audiovisual, um dos principais mecanismos de fomento à indústria do audiovisual no Brasil. Assim como a Lei de Incentivo à Cultura, essa lei permite que empresas destinem até 4% dos seus impostos para projetos audiovisuais previamente aprovados pela Agência Nacional do Cinema (Ancine). O governo, então, abre mão de um percentual desse imposto que seria arrecadado e a verba é destinada a essas produções.
Também não é verdade que a artista “abocanhou” R$ 10 milhões, como sugere a peça de desinformação. Em uma consulta à base de dados da Ancine, é possível localizar todos os projetos apresentados pela produtora da qual a atriz é sócia, oito no total. Essas produções, propostas entre 2014 e 2018, somaram um total de R$ 924 mil de recursos captados pela Lei do Audiovisual — e não R$ 10 milhões.
De todos os aprovados, três não obtiveram verba e foram cancelados (veja aqui, aqui e aqui). Um ainda segue aberto para captação, um documentário sobre o jornalista Samuel Wainer (1910-1980). Os outros são o documentário Ensaio, lançado em 2018, que captou R$ 230 mil; o desenvolvimento do projeto Inclassificáveis, que captou R$ 100 mil; a série documental MMA em Família, que foi ao ar em 2016 no canal + Globosat e teve R$ 294 mil de valores captados; e, por fim, o desenvolvimento do roteiro do longa-metragem No Ano que Vem, contemplado no edital de desenvolvimento de projetos da Ancine para receber R$ 100 mil.
A informação de que todos esses projetos foram aprovados nas gestões do PT também não procede. Das oito propostas, cinco foram submetidas e aprovadas pela Ancine entre 2016 e 2018, período no qual Michel Temer (MDB) era presidente. Os outros foram em 2014 e 2015, quando Dilma Rousseff (PT) estava à frente do país. Como dito acima, há um projeto captando recursos atualmente.
Procurada pela Lupa, Maria Flor afirmou, por e-mail, que cada projeto gerou emprego para um número grande de pessoas. “Imagino que pelo menos 200 empregos, com todos os projetos somados”, disse. “As leis de incentivo à cultura e a Lei do Audiovisual são imprescindíveis para a produção de cultura no Brasil. É o mecanismo que temos para realizar filmes, peças, shows e tantas outras atividades culturais que movimentam a economia e geram empregos diretos e indiretos”, escreveu.
Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


19.02.2024 - 19h50
Política
É falso que Infraero e Anac confirmaram pouso de Trump em Guarulhos no dia de ato bolsonarista

Circula nas redes sociais uma suposta notícia afirmando que a Infraero e a Anac teriam confirmado que o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump teria um pouso agendado no Aeroporto Internacional de Guarulhos para o dia 25 de fevereiro. É falso. Ambas as organizações negaram que emitiram tal informação.


Evelyn Fagundes
19.02.2024 - 18h10
Política
É antiga foto que mostra Eduardo Paes ajoelhado próximo a Sérgio Cabral na Sapucaí

Post insinua que o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral e o prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes, se encontraram na Marquês de Sapucaí no carnaval deste ano. Falta contexto. As imagens que mostram os dois durante a festividade são antigas e foram relembradas recentemente por Cabral em sua conta no Instagram.

Catiane Pereira
19.02.2024 - 17h31
Meio ambiente
Vídeo de extração de madeira é antigo e não tem relação com governo Lula

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra caminhões carregando toras de madeira extraídas de uma área florestal. Segundo a legenda que acompanha o conteúdo, a gravação teria sido feita recentemente, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). É falso. A Lupa identificou o mesmo vídeo em uma publicação feita no YouTube em 2018.

Evelyn Fagundes
16.02.2024 - 18h54
Saúde
Vigilância Sanitária não recomenda colocar cloro com sal em ralos contra a dengue

Mensagem afirma que a Vigilância Sanitária pediu para a população inserir meio copo de cloro e uma colher de sal nos ralos para combater focos de dengue. É falso. A Anvisa não emitiu o comunicado. Apesar de o cloro ser eficaz no combate a larvas do mosquito, o produto só mostra benefício em determinadas circunstâncias quando dissolvido em água.

Evelyn Fagundes
16.02.2024 - 17h30
Saúde
É falso que Globo fez comercial defendendo o direito de abortar

Circula nas redes sociais um vídeo que aborda o direito das mulheres em escolherem sobre a continuidade de uma gravidez. Segundo a narrativa que acompanha o post, a gravação seria um comercial produzido pela Rede Globo. É falso. O clipe foi desenvolvido em 2015 pelo estúdio Busca Vida Filmes, da cineasta Petra Costa.

Evelyn Fagundes
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital