UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que inalação de bicarbonato de sódio com água sanitária ajuda contra Covid-19
25.03.2021 - 15h06
Rio de Janeiro - RJ
Circula pelo WhatsApp um vídeo indicando a inalação de uma mistura de água, água sanitária e bicarbonato de sódio para auxiliar pessoas infectadas com Covid-19 a respirar. O homem responsável pela gravação afirma que a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) também estaria recomendando uma mistura semelhante para inalação. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:
“O grande tchan da inalação é ajudar na respiração, que é o grande problema do Covid. Vou dizer aqui a receita rápida pra vocês (…) Aqui ó: 250 ml de água, muito simples. 250 ml de água filtrada ou mineral, que seja, você compra água. Duas gotas de Qboa, isso mesmo, Qboa, água sanitária. Mas são duas gotas apenas. Apenas duas gotas e uma colher rasa de café de bicarbonato de sódio. A Fiocruz tá fazendo isso com bicarbonato e com soro. O soro é bom, acaba elevando a pressão para quem faz com soro, então faça com água… Se vc tem covid você precisa fazer três vezes por dia”
Vídeo que circula pelo WhatsApp
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. A mistura de água, água sanitária e bicarbonato de sódio sinalizada no vídeo é perigosa para o organismo e não deve ser utilizada para tratar pacientes com Covid-19. O conselheiro federal do Conselho Federal de Química e superintendente do Conselho Regional de Química – CRQ IV (SP), Wagner Contrera, afirma que a água sanitária tem como principal ingrediente ativo o hipoclorito de sódio, que libera o gás cloro e pode causar sérias irritações nas vias respiratórias. Segundo o conselheiro, a água sanitária não pode ser inalada ou ingerida em nenhuma hipótese.
Em agosto do ano passado, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) comunicou que o uso de produtos à base de cloro como tratamentos para a Covid-19 não era recomendado. A entidade pede que “as autoridades de saúde facilitem a notificação de eventos adversos relacionados a essas substâncias e emitam os alertas e ações regulatórias necessários, incluindo possíveis sanções, a fim de evitar a recorrência de tais eventos”.
A mistura mencionada na gravação leva ainda bicarbonato de sódio e afirma que a Fiocruz estaria indicando o tratamento. Atualmente, a Universidade Federal do Acre (Ufac), em parceria com a Fiocruz, está desenvolvendo um estudo para avaliar a eficácia do uso de bicarbonato de sódio para tratar pacientes com Covid-19. Procurada, a coordenadora da pesquisa, Carolina Pontes, afirmou que o tratamento estudado não utiliza água sanitária em sua solução. O tratamento experimental contou com mais de 500 pacientes em diversas fases da Covid-19 e o resultado obtido está nas etapas finais de publicação.
No ano passado, o então presidente americano, Donald Trump, disse que desinfetantes acabam com o vírus em um minuto e que uma injeção poderia auxiliar pessoas infectadas. Isso acarretou uma série de boatos sobre o uso de desinfetantes e água sanitária no tratamento de pessoas com Covid-19. Na época, empresas do setor de limpeza repudiaram a fala do presidente. Em Nova York, o número de casos de intoxicação por desinfetante aumentou depois de Trump fazer a afirmação, que não tem nenhum respaldo científico.
No início de março, circulou no WhatsApp um vídeo em que um médico ensina uma receita também ineficaz à base de bicarbonato de sódio para prevenir e tratar a Covid-19. O autor afirma que a inalação de uma fórmula feita com água mineral, bicarbonato de sódio e água oxigenada é capaz de prevenir a doença. Essa receita, no entanto, não auxilia no tratamento de pacientes com Covid-19.
Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


18.05.2024 - 16h51
Rio Grande do Sul
É falso que barragem da Usina 14 de Julho causou enchente no RS; vídeo é antigo

Vídeo que circula nas redes sociais afirma que a abertura de comportas das barragens do Rio das Antas e do Rio Carreiro teria resultado nas enchentes do Rio Grande do Sul. É falso. Trata-se de um vídeo antigo que não tem relação com as recentes enchentes. Além disso, as barragens citadas não têm capacidade de impactar nas cheias.


Evelyn Fagundes
18.05.2024 - 12h46
Rio Grande do Sul
Vídeo de resgate de criança por civis em enxurrada foi gravado na Turquia, não no RS

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra o resgate de duas pessoas em uma enchente. A legenda afirma se tratar do salvamento de duas crianças que ocorreu recentemente no Rio Grande do Sul. É falso. A gravação mostra o resgate de uma mulher e de uma criança em março de 2023 na Turquia.

Catiane Pereira
18.05.2024 - 09h46
Rio Grande do Sul
É falso que 2 mil corpos foram congelados em frigorífico de Canoas (RS)

Vídeo nas redes sociais alega que estão congelando corpos em câmaras frigoríficas no bairro Mathias Velho, em Canoas (RS). É falso. O Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul e a Prefeitura de Canoas desmentiram o boato. Além disso, o boletim da Defesa Civil, divulgado às 9h de sábado (18), aponta 22 óbitos em Canoas.

Catiane Pereira
17.05.2024 - 17h30
Rio Grande do Sul
É falso que foram destruídas doações para o RS mostradas em vídeo viral

Circula nas redes sociais um vídeo alegando que doações enviadas para o Rio Grande do Sul foram destruídas. É falso. Trata-se de um registro de 2023, em que donativos estavam sendo movidos por uma retroescavadeira para organizar o local. O conteúdo desinformativo ainda conta com outras narrativas falsas.


Evelyn Fagundes
16.05.2024 - 17h15
Rio Grande do Sul
É falso que lista com 53 nomes seja de crianças desacompanhadas em abrigo na Ulbra, em Canoas

Circula pelas redes sociais uma lista com supostos nomes de crianças sem seus responsáveis que estariam abrigadas no Campus da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), em Canoas (RS). É falso. Na verdade a lista traz os nomes de pessoas desabrigadas e que foram acolhidas em outro local, não de crianças desacompanhadas.

Catiane Pereira
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital