UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que Lula doou terreno para ‘base terrorista’ do Hamas
20.05.2021 - 13h42
Rio de Janeiro - RJ
Circula pelo WhatsApp o vídeo de um homem que afirma que um grupo terrorista está por trás da construção de uma embaixada em Brasília. De acordo com ele, que está posicionado na frente da representação diplomática da Palestina, o ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva (PT) teria feito a doação do terreno para o Hamas. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:
“Quem está à frente da Palestina é o grupo terrorista chamado Hamas. E o Hamas está construindo uma base terrorista que eles chamam de embaixada”
Vídeo que circula em grupos de WhatsApp
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. A Embaixada da Palestina, localizada em Brasília, é a sede da representação diplomática da Autoridade Nacional Palestina (ANP) no país. Criada na década de 1990, a ANP surge no contexto das disputas territoriais entre israelenses e palestinos para fazer um governo de transição até o estabelecimento do Estado da Palestina.
A ANP não é liderada pelo Hamas, e sim pelo Fatah. Tratam-se de dois grupos políticos diferentes, que se opõem. O Fatah é considerado um partido laico e moderado, defensor de um acordo com Israel que divida o território e ponha fim aos conflitos na região. Atualmente, não é considerado terrorista por nenhum país estrangeiro. O atual presidente da ANP, Mahmoud Abbas, é filiado ao partido, assim como o primeiro-ministro, Mohammad Shtayyeh.
Já o Hamas é um movimento islâmico, e nunca fez parte do governo da ANP — exceto por um breve governo de união nacional em 2007. Nesse mesmo ano, após confrontos armados, o Hamas assumiu o controle da Faixa de Gaza e expulsou o Fatah da região. Os dois movimentos firmaram um acordo de paz em 2017, mas o Hamas não faz parte do governo formal da Palestina. O Hamas é considerado um grupo terrorista por Israel, Estados Unidos e União Europeia, está envolvido no mais novo conflito com Israel, que nos últimos 10 dias já matou 240 pessoas.

“O terreno da Embaixada da Palestina foi doado por Lula”
Vídeo que circula em grupos de WhatsApp
Verdadeiro, mas...
A informação analisada pela Lupa é verdadeira, mas a doação de terrenos para a construção de embaixadas é uma prática comum da diplomacia brasileira. Ela é reconhecida pela lei 6.294/1975, assinada pelo presidente Ernesto Geisel ainda durante a ditadura militar.
A lei estabelece que o país beneficiário da doação também deve ceder um imóvel em seu território para a instalação de uma missão diplomática brasileira. Em 2015, a Palestina doou um terreno para a construção do Escritório de Representação do Brasil na cidade de Ramala.
Para que a doação seja realizada, é necessário aprovar uma lei específica no Congresso. Em 2008, o projeto foi protocolado no Congresso pelo então Ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. O projeto tramitou por três comissões e foi à sanção do então presidente Lula, transformando-se na lei 12.231/2010. A lei especifica que a escritura de doação poderia ser revertida caso a embaixada não fosse construída.
O homem também cita no vídeo que “Lula achou pouco e ainda doou R$ 25 milhões para construir [a embaixada]”. Essa informação é falsa. O repasse de R$ 25 milhões para a ANP faz parte de uma iniciativa internacional para a reconstrução da Faixa de Gaza, e não tem relação alguma com a doação do terreno. A Lupa verificou uma peça de desinformação sobre esta doação na segunda-feira (17).
Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


12.04.2024 - 17h28
Eleições
Musk não entregou aos EUA provas de interferência de Moraes nas eleições

Publicação nas redes sociais alega que Elon Musk entregou às autoridades dos Estados Unidos documentos evidenciando a interferência do ministro Alexandre de Moraes, do STF, nas eleições de 2022. É falso. Não há nenhum registro sobre o fato. Além disso, um especialista em Direito Constitucional afirma que tal ação não teria efeito prático no Brasil.

Maiquel Rosauro
12.04.2024 - 17h02
Política
É falso que Elon Musk conseguiu o impeachment de Alexandre de Moraes

Circula nas redes um vídeo do deputado federal Gustavo Gayer (PL-GO), que estaria comemorando o impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, após o empresário Elon Musk pedir o afastamento do magistrado. É falso. O vídeo mostra Gayer comemorando a aprovação da PEC que limita decisões monocráticas no STF.

Catiane Pereira
12.04.2024 - 16h16
STF
É de 2016 vídeo sobre ação da PF que cita Alexandre de Moraes; caso foi arquivado

Circula nas redes um vídeo que mostra que o nome do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes apareceu em documentos apreendidos pela PF de uma empresa investigada em esquema de fraude. Falta contexto. O vídeo é antigo, de 2016. Pagamentos à firma de Moraes foram para honorários advocatícios. O caso foi arquivado.

Ítalo Rômany
12.04.2024 - 15h13
Política
É falso que Moraes tenha ‘censurado’ o jornalista Augusto Nunes

Circula nas redes sociais um vídeo em que um homem alega que o jornalista Augusto Nunes teria sido censurado pelo Supremo Tribunal Federal em um processo liderado pelo ministro Alexandre de Moraes. É falso. A Suprema Corte negou que exista uma decisão desse gênero em vigor.


Evelyn Fagundes
12.04.2024 - 14h21
Política
É antigo vídeo no qual Cármen Lúcia fala sobre liberdade de expressão

Um vídeo no qual a vice-presidente do TSE, Cármen Lúcia, fala sobre ‘censura’ em uma sessão da corte circula com uma legenda que insinua que ela estaria se posicionando contra o ministro Alexandre de Moraes em sua disputa com o empresário Elon Musk. É falso. O vídeo é de 2022. A sessão do TSE tratou sobre desmonetização de canais no YouTube.

Catiane Pereira
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital