UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que pessoas não vacinadas contra Covid-19 não poderão usar smartphones
30.09.2021 - 16h05
Rio de Janeiro - RJ
Circula pelas redes sociais que pessoas não vacinadas não poderão usar smartphones. A publicação diz que empresas como Google, Apple e Samsung lançaram recursos que permitem a verificação do status de vacinação do usuário, de modo que aqueles que não tiverem tomado o imunizante não poderão usar o celular. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:
“Não vacinados não poderão usar smartphones. Não vacinados terão que voltar ao tempo das cavernas. Google, Apple e Samsung anunciaram recentemente planos para oferecer um recurso que chama prontamente um código QR que pode ser lido para verificar rapidamente o status de vacinação do usuário.”
_Imagem publicada no Facebook que, até 15h do dia 30 de setembro de 2021, havia sido compartilhado por 23 pessoas
_
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. Os aplicativos que permitem a inserção de um certificado de vacinação contra a Covid-19 em smartphones não condicionam o uso do aparelho à validação da vacina. Citadas, Google, Apple e Samsung reforçaram que se trata de um post enganoso. Nenhuma das empresas bloqueia o uso de funções, e as pessoas também não são obrigadas a informar nos celulares se tomaram ou não o imunizante.
O Google permite que usuários de smartphones nos Estados Unidos insiram o certificado de vacinação no aplicativo Google Pay. O objetivo é facilitar a apresentação do documento, requisitado em alguns municípios norte-americanos para entrada em ambientes fechados, como um “passe da vacina”. “Esta é só mais uma funcionalidade oferecida para ajudar as pessoas”, disse a assessoria de imprensa da empresa, em nota.
A Apple anunciou que resultados de testes de Covid-19 e certificados de vacinação poderão ser acessados diretamente no iOS 15, última versão do seu sistema operacional para celulares iPhone. A assessoria de imprensa da companhia reforçou, em nota, que a informação de que pessoas sem vacina não poderão usar smartphones da Apple “não procede e não é oficial”.
O cartão de vacinação também poderá ser armazenado em aparelhos Samsung por meio do Samsung Pay, um recurso que já funciona nos Estados Unidos. “A Samsung esclarece que o aplicativo Samsung Pay funciona nos EUA como uma carteira digital, onde o usuário pode cadastrar seu certificado eletrônico de vacinação”, afirmou, em nota, a assessoria de imprensa da empresa.
Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


17.07.2024 - 16h16
Internacional
É falso que antifa chamado Mark Violets atirou em Donald Trump

Post alega que o Departamento de Polícia de Butler identificou que o homem que atirou em Donald Trump se chama Mark Violets, um membro da Antifa. A publicação é acompanhada de um vídeo que mostra Violets sobre um telhado supostamente morto. É falso. O homem no vídeo é Thomas Matthew Crooks, morto pelo Serviço Secreto norte-americano.

Maiquel Rosauro
17.07.2024 - 15h12
Política
Agente do Serviço Secreto dos EUA não foi impedido de disparar em atirador de Trump

Circula nas redes o relato de um suposto agente do Serviço Secreto dos EUA chamado Jonathan Willis, afirmando que foi impedido de disparar contra o atirador que tentou assassinar o ex-presidente dos EUA Donald Trump. É falso. O Serviço Secreto esclareceu que não tem nenhum agente com esse nome e classificou a história como “categoricamente falsa”.


Gabriela Soares
17.07.2024 - 15h08
Política
É falso que governo confirmou fim do pagamento de R$ 600 no Bolsa Família

Post alega que Lula confirmou o fim do pagamento de R$ 600 no Bolsa Família. A publicação possui um vídeo no qual uma mulher diz que o ministro Fernando Haddad afirmou que haverá cortes para famílias que recebem benefícios sociais. É falso. O governo não confirma a informação. Haddad não disse que haverá cortes para famílias em benefícios sociais.

Maiquel Rosauro
16.07.2024 - 17h29
Internacional
Homem em vídeo viral não é autor de atentado contra Donald Trump

Homem em um vídeo viral alega ser Thomas Matthew Crooks, o responsável por atirar em Donald Trump em um comício, no sábado (13). É falso. Crooks foi morto pelo serviço secreto após os disparos. O homem no vídeo é um usuário do X que tentou fazer uma trollagem. Ele se arrependeu e disse que o vídeo foi um erro.

Maiquel Rosauro
16.07.2024 - 17h03
Eleições nos EUA
Diretor do FBI não revelou que deputado do partido de Biden mandou matar Trump

Circula nas redes post afirmando que o diretor do FBI descobriu que o atirador que tentou matar Donald Trump foi contratado por um deputado democrata para cometer o crime. É falso. Não há qualquer declaração pública sobre esse suposto fato. As investigações ainda estão no início e não há participação de qualquer outra pessoa no crime, diz o FBI.

Ítalo Rômany
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital