UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que Bolsonaro está usando as Forças Armadas para fabricar lanchas de transporte escolar
12.01.2022 - 17h19
Rio de Janeiro - RJ
Circula no WhatsApp uma reportagem sobre a fabricação de lanchas para transporte escolar na Base Naval de Natal, no Rio Grande do Norte. A filmagem é acompanhada de uma legenda que sugere que a iniciativa é do presidente Jair Bolsonaro (PL), que supostamente teria determinado que as Forças Armadas produzissem embarcações para transporte escolar. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:
Bolsonaro usa forças armadas para fabricar lancha .As lanchas serão usadas para levar crianças para escola.O cara é um mito.É Bolsonaro outra vez em 2022.Legenda de vídeo que circula em correntes no WhatsApp
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. Não há, atualmente, nenhum projeto em andamento para fabricação de embarcações para transporte de estudantes. O vídeo que acompanha a publicação mostra um projeto realizado entre 2010 e 2012, portanto anterior à gestão do presidente Jair Bolsonaro (PL), quando a Base Naval da Marinha em Natal, no Rio Grande do Norte, fabricou barcos para transporte de alunos em regiões ribeirinhas.
Essa iniciativa fez parte do programa Caminho da Escola de Lanchas Escolares — uma parceria entre o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Ministério da Educação, e a Marinha. Por telefone, a assessoria de comunicação do Comando do 3º Distrito Naval da Marinha, na capital potiguar, informou que não há nenhum projeto similar no momento. Também confirmou que a filmagem é antiga.
O vídeo que vem sendo compartilhado como se fosse atual é, na verdade, uma reportagem de 2011 sobre uma das bases navais que fizeram parte do projeto, a Base Naval de Natal, no Rio Grande do Norte. Uma busca reversa em plataformas como o Google Images indicou que a gravação foi disponibilizada na internet pela primeira vez em 3 de outubro de 2011.
A gravação, de pouco mais de dois minutos, diz que 100 lanchas já foram entregues e mostra ainda um mapa com as cidades onde os barcos já estão sendo utilizados. A repórter ainda menciona que o projeto é parte do programa federal Caminho da Escola, financiado pelo FNDE, especialmente para crianças que moram em regiões ribeirinhas.
O próprio vídeo informa que a fabricação das embarcações não é recente. Aos 22 segundos de vídeo, a repórter explica que a produção das lanchas na Base Naval de Natal começou em abril de 2010, portanto oito anos antes de Jair Bolsonaro (PL) ser eleito presidente.
O projeto de fabricação das lanchas escolares foi anunciado ainda em 2009 pelo FNDE, dois anos depois que o programa Caminho na Escola foi criado, em 2007, ainda na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O termo de cooperação entre o Fundo e a Marinha foi assinado em outubro daquele ano e a fabricação dos barcos começou no ano seguinte, em 2010. Das 600 lanchas previstas, 300 foram feitas na Base Naval de Val-de-Cães, em Belém; 200 na Base Naval de Natal e 100 na Base Naval de Aratu, em Salvador.
Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


12.04.2024 - 14h21
Política
É antigo vídeo no qual Cármen Lúcia fala sobre liberdade de expressão

Um vídeo no qual a vice-presidente do TSE, Cármen Lúcia, fala sobre ‘censura’ em uma sessão da corte circula com uma legenda que insinua que ela estaria se posicionando contra o ministro Alexandre de Moraes em sua disputa com o empresário Elon Musk. É falso. O vídeo é de 2022. A sessão do TSE tratou sobre desmonetização de canais no YouTube.

Catiane Pereira
12.04.2024 - 13h21
Política
É falso que Alexandre de Moraes defendeu ‘corroer a democracia por dentro’ em vídeo viral

Post exibe vídeo com um trecho de uma palestra do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, no qual ele fala em cativar o eleitorado e corroer a democracia por dentro. É falso. O vídeo foi manipulado. Na versão original, Moraes explicava como a extrema-direita age para atacar a democracia.

Maiquel Rosauro
12.04.2024 - 13h00
Tecnologia
É falso que 35% da comunicação do país depende de satélites de Elon Musk

Post diz que 35% da comunicação do país depende de satélites de Elon Musk. Sugere ainda que cabos de transmissão submarina só funcionam com a presença desses satélites e que o X é lucrativo. É falso. A Starlink Brasil tem só 0,3% de presença no mercado. A Anatel diz que a alegação sobre os cabos submarinos não tem sentido. Já o X gera prejuízo.

Maiquel Rosauro
12.04.2024 - 11h38
Política
É falso que Projeto de Lei propõe legalizar relações sexuais entre pais e filhos

 Circula na internet um vídeo afirmando que o Projeto de Lei nº 3369, de 2015, legalizaria o incesto no Brasil. É falso. O Projeto não incentiva ou libera o incesto, apenas amplia o reconhecimento formal de famílias pela lei brasileira. Essa não é a primeira vez que o PL é falsamente associado ao incesto.

Gabriela Soares
11.04.2024 - 15h23
Política
G1 não noticiou que influenciador foi multado por curtir comentário de Elon Musk contra Alexandre de Moraes

Circula nas redes sociais um post que aparenta ser uma publicação feita pelo G1 no X, antigo Twitter. Segundo a publicação, um influenciador teria sido multado por curtir um post do empresário Elon Musk que criticava o ministro Alexandre de Moraes, do STF. É falso. Trata-se de uma montagem. Em nota, o portal disse que não publicou tais afirmações.

Evelyn Fagundes
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital