UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Foto mostra detentos em campo de concentração na Áustria, não vítimas do Holodomor na Ucrânia
17.02.2022 - 18h44
Rio de Janeiro - RJ
Circula nas redes sociais uma foto que mostra uma fila de pessoas desnutridas e nuas. Segundo a legenda do post, o registro foi feito na Ucrânia, durante uma grande crise de fome ocorrida no país durante o regime comunista, o Holodomor, que deixou milhões de mortos no início da década de 1930. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:
“São ucranianos sob o regime comunista, 7.000.000 de mortos. O Holodomor não é abordado nas aulas de história. Por quê?”
Legenda de vídeo compartilhado no Facebook que, até as 16h de 17 de fevereiro de 2021, tinha mais de mil compartilhamentos
Falso
A informação analisada pela Lupa é falsa. A imagem que mostra pessoas desnutridas e nuas não foi feita na Ucrânia durante o regime comunista do país. Na verdade, o registro é do campo de concentração de Mauthausen, na Áustria, entre 1941 e 1944, ou seja, na 2ª Guerra Mundial. Essas informações constam no site do Arquivo Federal da Alemanha. Segundo a legenda, trata-se de um grupo de prisioneiros soviéticos.
O post compartilhado menciona o Holodomor (Fome-Terror ou Grande Fome), uma grave crise generalizada de fome ocorrida na Ucrânia após a coletivização forçada da terra durante o regime comunista soviético de Joseph Stalin. O auge dessa crise ocorreu nos anos de 1932 e 1933. Alguns historiadores indicam que o número de mortos chegou a 3,3 milhões, enquanto outros especialistas apontam uma maior quantidade de vítimas. Imagens da época mostram pessoas caídas na rua, indicando a gravidade da situação.
As explicações sobre o que causou o Holodomor são controversas. Uma das principais interpretações é que se tratou de um genocídio, com o objetivo deliberado de submeter a Ucrânia ao domínio soviético. Outra corrente acredita que não houve intencionalidade, visto que a crise atingiu também outros locais, como a própria Rússia. Contudo, vale ressaltar que a foto que a Lupa analisou não tem relação com esse período.
Crise
Nas redes sociais, esse conteúdo falso foi impulsionado após o escalonamento da crise entre Ucrânia e Rússia. Um dos principais fatores para o conflito entre as duas nações está na possbilidade de a Ucrânia aderir à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), uma aliança militar da qual fazem parte os Estados Unidos e um grupo de países europeus.
O número de soldados da Rússia perto da fronteira com a Ucrânia passou a aumentar em dezembro. A decisão da Ucrânia de se unir à Otan poderia, na visão de autoridades russas, representar uma ameaça para o seu país. Na última terça-feira, pareceu que a tensão iria diminuir. A Rússia chegou a ordenar o retorno de algumas tropas à base depois de os soldados terem concluído uma série de exercícios militares.
Contudo, nesta quinta-feira (17), a crise voltou a aumentar após o número 2 da embaixada dos Estados Unidos em Moscou, Bart Gorman, ter sido expulso da Rússia. Isso voltou a acirrar as relações entre EUA e Rússia. Como justificativa, autoridades russas disseram que os EUA teriam retirado um diplomata de Washington antes, e que a sua decisão foi uma forma de retaliação. Eles não nomearam esse diplomata.
Essa informação também foi analisada pela AFP.
Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


01.03.2024 - 14h25
Mudanças Climáticas
É falso que o Sol é o principal fator responsável pelo aquecimento global

Post afirma que o aquecimento global está relacionado principalmente com as variações do Sol, e não seria causado prioritariamente pela atividade humana. É falso. Esse entendimento é contrário ao conhecimento científico sobre a origem humana das mudanças climáticas dos últimos anos, conforme atestam os informes do IPCC, da ONU.

Catiane Pereira
01.03.2024 - 13h29
Segurança
É falso que Fernandinho Beira-Mar fugiu de presídio de segurança máxima em Mossoró

Post que circula pelas redes sociais afirma que Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, teria fugido junto com outros detentos da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. É falso. Beira-Mar segue sob a custódia do Sistema Penitenciário Federal.

Catiane Pereira
01.03.2024 - 12h55
Saúde
É falso que Lula ‘liberou’ o aborto em qualquer tempo gestacional no Brasil

Circula pelas redes sociais que o governo Lula teria liberado o aborto no Brasil em qualquer idade gestacional. É falso. O governo não  legalizou o aborto. Uma nota técnica do Ministério da Saúde de 28 de fevereiro revogou uma orientação de 2022, do governo Bolsonaro, que fixava um prazo para os procedimentos. Essa nota foi suspensa em 29 de fevereiro.

Carol Macário
01.03.2024 - 12h47
Política
Soldados queimados em vídeo são turcos, não israelenses mortos pelo Hamas

Post mostra um vídeo com soldados sendo queimados vivos. A legenda que acompanha a publicação diz que são israelenses assassinados pelo Hamas. É falso. O vídeo é antigo e circula desde 2016. O Estado Islâmico assumiu a autoria do ato contra soldados turcos

Maiquel Rosauro
01.03.2024 - 12h16
Política
Nota das Forças Armadas é antiga e trata de protestos em quartéis de 2022

 Circula nas redes o vídeo de uma reportagem sobre uma nota das Forças Armadas que menciona “o que vem acontecendo no Brasil”. A publicação dá a entender que o documento se refere a supostos “descaminhos autocráticos” do poder Judiciário. Falta Contexto. A notícia é de 2022 e foi tirada de contexto.

Gabriela Soares
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital