UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que ivermectina é considerada tratamento contra o câncer
23.11.2023 - 10h58
Florianópolis - SC
Circula pelas redes sociais que a ivermectina, medicamento usado para tratar sarna e piolho, pode ajudar no tratamento contra o câncer. O vídeo que viralizou mostra a tela de um celular em que alguém mostra a pesquisa pelos termos “ivermectina” e “câncer” no site oficial dos Institutos Nacionais da Saúde (NIH, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, centro que agrega pesquisas em biomedicina de todo o mundo. 
 Na sequência, a gravação mostra uma lista com vários estudos identificados com as duas palavras. O autor do vídeo mostra, então, como fazer uma tradução rápida da página onde estão listados os artigos científicos usando uma ferramenta do próprio navegador. 
Por fim, o vídeo destaca, sem abrir nenhum link, os títulos e as breves descrições de alguns desses estudos. Um letreiro sugere, a partir disso, que a ivermectina pode ser eficaz para tratar pessoas com câncer. É falso.
Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:
“A ivermectina pode ajudar no tratamento de CÂNCER…”
– Texto em vídeo que circula em correntes de WhatsApp 
Falso
Não existe nenhuma evidência científica, até o momento, que comprove que a ivermectina é eficaz para o tratamento contra o câncer. Esse medicamento é indicado para tratar infecções causadas por vermes e parasitas como piolho e sarna. 
Embora exista uma série de estudos que testa e discute o uso da ivermectina como alternativa para tratar algumas doenças, isso não significa que algum deles tenha comprovado qualquer benefício do antiparasitário contra o câncer. Revisões sistemáticas de pesquisas recomendam que sejam feitos mais testes para investigar se a combinação desse fármaco com outras drogas é realmente eficaz contra células cancerosas
O site dos Institutos Nacionais da Saúde (NIH) de fato agrega dezenas de pesquisas sobre o tema. Isso não quer dizer, contudo, que o NIH recomende oficialmente o fármaco para esse fim. 
Uma pesquisa no site do NIH com os termos “ivermectina” e “câncer”, como o vídeo instrui, apenas mostra que existem estudos iniciais que estão testando se a ivermectina pode desempenhar um papel no tratamento contra o câncer.  
Um dos artigos destacados na gravação, por exemplo, intitulado “Ivermectina, um potencial medicamento anticâncer derivado de um medicamento antiparasitário” e assinado por pesquisadores chineses, fez uma revisão de mecanismos pelos quais a ivermectina inibiu o desenvolvimento de diferentes tipos de câncer (in vitro). Embora o grupo tenha observado um potencial, recomenda novos estudos, incluindo testes clínicos, para avaliar o real benefício.
Estudo publicado na revista Pharmacological Research em 2021
Conteúdos desinformativos similares circularam nas redes sociais em maio deste ano nos Estados Unidos e foram desmentidos por agências de checagem. Na época, o Instituto Nacional do Câncer norte-americano, entidade que faz parte do NIH, informou à agência AP Fact Check que divulga ao público informações cientificamente precisas e baseadas em evidências sobre o câncer e que, até o momento, não há qualquer “informação que apoie a afirmação de que a ivermectina é uma ‘cura para o câncer’”. 
Vale pontuar que o NIH é um agência de pesquisas na área da saúde ligada ao Departamento de Saúde e Serviços Humanos norte-americano. Nos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA), órgão equivalente à Anvisa no Brasil, aprova o uso da ivermectina apenas para tratar vermes e parasitas — e não câncer.
Esse conteúdo também foi verificado pelo Estadão Verifica.
Nota: Este conteúdo foi produzido pela Lupa com apoio do Instituto Todos pela Saúde (ITpS)

LEIA MAIS

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


01.03.2024 - 14h25
Mudanças Climáticas
É falso que o Sol é o principal fator responsável pelo aquecimento global

Post afirma que o aquecimento global está relacionado principalmente com as variações do Sol, e não seria causado prioritariamente pela atividade humana. É falso. Esse entendimento é contrário ao conhecimento científico sobre a origem humana das mudanças climáticas dos últimos anos, conforme atestam os informes do IPCC, da ONU.

Catiane Pereira
01.03.2024 - 13h29
Segurança
É falso que Fernandinho Beira-Mar fugiu de presídio de segurança máxima em Mossoró

Post que circula pelas redes sociais afirma que Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, teria fugido junto com outros detentos da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. É falso. Beira-Mar segue sob a custódia do Sistema Penitenciário Federal.

Catiane Pereira
01.03.2024 - 12h55
Saúde
É falso que Lula ‘liberou’ o aborto em qualquer tempo gestacional no Brasil

Circula pelas redes sociais que o governo Lula teria liberado o aborto no Brasil em qualquer idade gestacional. É falso. O governo não  legalizou o aborto. Uma nota técnica do Ministério da Saúde de 28 de fevereiro revogou uma orientação de 2022, do governo Bolsonaro, que fixava um prazo para os procedimentos. Essa nota foi suspensa em 29 de fevereiro.

Carol Macário
01.03.2024 - 12h47
Política
Soldados queimados em vídeo são turcos, não israelenses mortos pelo Hamas

Post mostra um vídeo com soldados sendo queimados vivos. A legenda que acompanha a publicação diz que são israelenses assassinados pelo Hamas. É falso. O vídeo é antigo e circula desde 2016. O Estado Islâmico assumiu a autoria do ato contra soldados turcos

Maiquel Rosauro
01.03.2024 - 12h16
Política
Nota das Forças Armadas é antiga e trata de protestos em quartéis de 2022

 Circula nas redes o vídeo de uma reportagem sobre uma nota das Forças Armadas que menciona “o que vem acontecendo no Brasil”. A publicação dá a entender que o documento se refere a supostos “descaminhos autocráticos” do poder Judiciário. Falta Contexto. A notícia é de 2022 e foi tirada de contexto.

Gabriela Soares
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital