UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que mineradora foi ‘obrigada’ a demitir funcionários por causa do governo Lula
01.12.2023 - 15h00
Florianópolis - SC
Circula pelas redes sociais que 2 mil trabalhadores foram demitidos no Pará por culpa do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Um vídeo com essa alegação mostra funcionários com o uniforme do Consórcio Araguaia, ligada ao projeto Araguaia Níquel,da mineradora Horizonte Minerals. Nos letreiros, a gravação sugere “empresas foram obrigadas a demitir” em razão de impostos aplicados pelo governo federal. É falso
Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:
“governo da destruiçãoLula mete imposto nas empresas e elas são obrigada a demitirmilhares de emprego perdido”
– Texto em vídeo que circula em correntes de WhatsApp 
Falso
Empresas não foram “obrigadas” a demitir em razão de aumento de impostos pelo governo Lula. Na verdade, a empresa mostrada no vídeo, a britânica HZM — sigla para Horizonte Minerals —, anunciou que vai pausar um de seus projetos de mineração em Conceição do Araguaia (PA), o Araguaia Níquel, em razão de um déficit no capital necessário para concluir o projeto. Em nota, a empresa afirmou que a decisão “não tem qualquer relação com o governo federal”.  
Ao pesquisar no Google o nome e o logotipo — Consórcio Araguaia — que aparecem estampados no uniforme das pessoas filmadas junto ao termo “demissões”, chega-se a uma série de notícias e vídeos que explicam os motivos dos desligamentos dos trabalhadores. Pesquisas com os termos “Araguaia Níquel” também mostram matérias sobre a paralisação das obras de extração de níquel na cidade de Conceição do Araguaia.
Em 15 de novembro, o portal Brasil Mineral noticiou que a decisão sobre a suspensão foi tomada após “uma série de visitas de acionistas e representantes de credores” que não querem aportar mais dinheiro sem uma revisão dos parâmetros do projeto. Em 17 de novembro, por exemplo, o portal Olavo Dutra noticiou que a desmobilização teria prazo de quatro meses e que havia suspeita de má aplicação de recursos de investidores. 
Um vídeo publicado no TikTok mostra o momento em que um dos gestores dos trabalhadores que foram desligados anuncia a paralisação do projeto. Nota-se que os uniformes são os mesmos. Ao longo de cinco minutos, ele explica que havia “dinheiro no caixa para fazer a obra” e que posteriormente se chegou à conclusão que não seria possível terminar o projeto no prazo estimado.
“Pediram mais uma grana. (...) Vocês viram muita visita de gringo, pessoal do banco, eles vieram para fazer a auditoria para [poder então] liberar esse refinanciamento, ou seja, aportar esse dinheiro a mais”, diz o homem. Contudo, continua ele, embora a obra esteja boa e organizada, “eles [credores estrangeiros] disseram ‘não vamos colocar US$ 250 milhões sem saber o que está acontecendo’. E aí veio a notícia para todos nós de que o projeto vai passar por um recesso de desmobilização de cerca de 4 meses (...)”.
Vale pontuar que já em 23 de outubro a mineradora HZM divulgou em sua página que o aumento da quantidade de materiais, mudanças de escopo e aumento de prazo de entrega, entre outros pontos, demandaram um financiamento adicional. Em 14 de novembro, a empresa sediada em Londres fez um novo pronunciamento, reafirmando que iria “reduzir as atividades de construção no Araguaia” enquanto acionistas e credores discutem recursos e fundos para o projeto. 
Esse conteúdo também foi desmentido pelo Estadão Verifica.

LEIA MAIS

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


01.03.2024 - 14h25
Mudanças Climáticas
É falso que o Sol é o principal fator responsável pelo aquecimento global

Post afirma que o aquecimento global está relacionado principalmente com as variações do Sol, e não seria causado prioritariamente pela atividade humana. É falso. Esse entendimento é contrário ao conhecimento científico sobre a origem humana das mudanças climáticas dos últimos anos, conforme atestam os informes do IPCC, da ONU.

Catiane Pereira
01.03.2024 - 13h29
Segurança
É falso que Fernandinho Beira-Mar fugiu de presídio de segurança máxima em Mossoró

Post que circula pelas redes sociais afirma que Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, teria fugido junto com outros detentos da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. É falso. Beira-Mar segue sob a custódia do Sistema Penitenciário Federal.

Catiane Pereira
01.03.2024 - 12h55
Saúde
É falso que Lula ‘liberou’ o aborto em qualquer tempo gestacional no Brasil

Circula pelas redes sociais que o governo Lula teria liberado o aborto no Brasil em qualquer idade gestacional. É falso. O governo não  legalizou o aborto. Uma nota técnica do Ministério da Saúde de 28 de fevereiro revogou uma orientação de 2022, do governo Bolsonaro, que fixava um prazo para os procedimentos. Essa nota foi suspensa em 29 de fevereiro.

Carol Macário
01.03.2024 - 12h47
Política
Soldados queimados em vídeo são turcos, não israelenses mortos pelo Hamas

Post mostra um vídeo com soldados sendo queimados vivos. A legenda que acompanha a publicação diz que são israelenses assassinados pelo Hamas. É falso. O vídeo é antigo e circula desde 2016. O Estado Islâmico assumiu a autoria do ato contra soldados turcos

Maiquel Rosauro
01.03.2024 - 12h16
Política
Nota das Forças Armadas é antiga e trata de protestos em quartéis de 2022

 Circula nas redes o vídeo de uma reportagem sobre uma nota das Forças Armadas que menciona “o que vem acontecendo no Brasil”. A publicação dá a entender que o documento se refere a supostos “descaminhos autocráticos” do poder Judiciário. Falta Contexto. A notícia é de 2022 e foi tirada de contexto.

Gabriela Soares
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital