UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso comunicado sobre venda de kits escolares da Faber-Castell por R$ 159,90
17.01.2024 - 17h33
Rio de Janeiro - RJ
Circula nas redes sociais um suposto comunicado da Faber-Castell sobre a venda de 13 mil kits escolares por R$ 159,90. Segundo a mensagem, o preço dos itens seria consequência de uma decisão da juíza Olívia Amaral Cabral Saveiro, do Maranhão, após acusações de propaganda enganosa. É golpe.
Por WhatsApp, leitores sugeriram que o conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:
A Faber Castell, empresa reconhecida por seu comprometimento com a qualidade e transparência, vem por meio deste comunicado informar sobre a decisão judicial proferida pela Juíza Olivia Amaral Cabral Saveiro, do Maranhão, referente à venda de kits escolares.
Em cumprimento estrito à determinação judicial, a Faber Castell irá disponibilizar 13.000 kits escolares completos ao preço de R$159,90

– Trecho do comunicado que circula nas redes sociais
Falso
A Faber-Castell não publicou nenhum comunicado sobre a venda de kits escolares pelo valor de R$ 159,90, em resposta  à determinação de uma juíza do Maranhão. Trata-se de um golpe. Em nota encaminhada à Lupa, a empresa de itens de papelaria negou a autoria da mensagem.
“A Faber-Castell informa que vem sendo alvo de fake news em sites e publicações na internet com ofertas, promoções e notícias falsas oferecendo produtos com descontos ou de forma gratuita. Os golpistas atuam de forma mais intensa neste período do ano em que há maior procura por materiais escolares, em função da volta às aulas”, afirmou em nota. A empresa ressaltou que não é a primeira vez que sua marca é utilizada em golpes desse tipo para atrair pessoas interessadas em materiais escolares.
Ainda na nota, a Faber-Castell repudiou a veiculação de informações falsas a seu respeito, informou que está tomando as medidas cabíveis para remover os conteúdos fraudulentos e recomendou que, diante de uma publicação suspeita, o consumidor procure seus canais oficiais para verificar a veracidade da informação.

Falsa promoção de materiais escolares

A falsa promoção de materiais escolares que circula nas redes sociais está associada a um link que redireciona o usuário para um portal que imita visualmente o site do jornal Folha de S. Paulo. A matéria apresentada menciona a determinação de uma suposta juíza identificada como Olivia Amaral Cabral Saveiro, exigindo que a Faber-Castell vendesse kits escolares completos por R$ 159,90.
Capturas de tela mostram imitação feita pelo site golpista
Ao final da matéria falsa, é apresentado ao usuário um botão com o texto “toque para verificar disponibilidade na Faber Castell”. Ao clicar no link, o usuário é levado para outro site que simula o da Faber-Castell. No portal fraudulento, é apresentado o mesmo comunicado falso e, abaixo, são oferecidos kits escolares com mais de 40 itens. 
Portal falso imita os elementos visuais do site oficial da Faber Castell
Ao clicar para comprar o kit, o usuário é redirecionado para uma área de identificação que solicita dados pessoais como nome completo, CPF, número de telefone e dados de pagamento. 
Site falso exige dados pessoais e informações de pagamento
Além de a Faber-Castell negar a autoria do comunicado, não foi possível identificar a existência da suposta juíza Olivia Amaral Cabral Saveiro que, de acordo com o texto falso, seria uma magistrada do Maranhão.
Procurando pelo nome citado na lista de agentes que trabalham no Tribunal de Justiça do Maranhão, que é disponibilizada pelo próprio tribunal, “Olivia Amaral Cabral Saveiro” não aparece no quadro. A Lupa contatou o TJMA para confirmar a informação, mas até a publicação desta verificação não obteve resposta. Além disso, no painel de transparência e prestação de contas do Conselho Nacional de Justiça, o nome da suposta juíza também não foi identificado.
A falsa matéria que imita o site da Folha de S. Paulo afirma, ainda, no corpo do texto, que a ação contra a Faber-Castell foi movida pelo Ministério Público Federal diante de acusações de propaganda enganosa levantadas por consumidores. 

Leia mais


Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco.


Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


01.03.2024 - 14h25
Mudanças Climáticas
É falso que o Sol é o principal fator responsável pelo aquecimento global

Post afirma que o aquecimento global está relacionado principalmente com as variações do Sol, e não seria causado prioritariamente pela atividade humana. É falso. Esse entendimento é contrário ao conhecimento científico sobre a origem humana das mudanças climáticas dos últimos anos, conforme atestam os informes do IPCC, da ONU.

Catiane Pereira
01.03.2024 - 13h29
Segurança
É falso que Fernandinho Beira-Mar fugiu de presídio de segurança máxima em Mossoró

Post que circula pelas redes sociais afirma que Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, teria fugido junto com outros detentos da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. É falso. Beira-Mar segue sob a custódia do Sistema Penitenciário Federal.

Catiane Pereira
01.03.2024 - 12h55
Saúde
É falso que Lula ‘liberou’ o aborto em qualquer tempo gestacional no Brasil

Circula pelas redes sociais que o governo Lula teria liberado o aborto no Brasil em qualquer idade gestacional. É falso. O governo não  legalizou o aborto. Uma nota técnica do Ministério da Saúde de 28 de fevereiro revogou uma orientação de 2022, do governo Bolsonaro, que fixava um prazo para os procedimentos. Essa nota foi suspensa em 29 de fevereiro.

Carol Macário
01.03.2024 - 12h47
Política
Soldados queimados em vídeo são turcos, não israelenses mortos pelo Hamas

Post mostra um vídeo com soldados sendo queimados vivos. A legenda que acompanha a publicação diz que são israelenses assassinados pelo Hamas. É falso. O vídeo é antigo e circula desde 2016. O Estado Islâmico assumiu a autoria do ato contra soldados turcos

Maiquel Rosauro
01.03.2024 - 12h16
Política
Nota das Forças Armadas é antiga e trata de protestos em quartéis de 2022

 Circula nas redes o vídeo de uma reportagem sobre uma nota das Forças Armadas que menciona “o que vem acontecendo no Brasil”. A publicação dá a entender que o documento se refere a supostos “descaminhos autocráticos” do poder Judiciário. Falta Contexto. A notícia é de 2022 e foi tirada de contexto.

Gabriela Soares
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital