UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É sátira vídeo em que homem ofende autoridades no Fórum Econômico Mundial
22.01.2024 - 16h47
Rio de Janeiro - RJ
Circula nas redes sociais um vídeo em que um homem aparece em um palanque proferindo ofensas a Klaus Schwab, fundador do Fórum Econômico Mundial, que se encontra próximo ao autor dos insultos durante uma reunião. É falso. Trata-se de uma sátira.
Por WhatsApp, leitores sugeriram que o conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:
Damon Imani, criador de conteúdos, mandou essa mensagem ao vivo para Klaus Schwab e toda sua turma globalista em Davos no Fórum Econômico Mundial: 
"Vão-se fod*er todos!", 
"Nós, as pessoas, nascemos livres, e permaneceremos livres", acrescentou. 👏🏻👏🏻👏🏻
– Legenda do vídeo que circula nas redes sociais
Falso
O criador de conteúdo Damon Imani não insultou Klaus Schwab durante uma reunião no Fórum Econômico Mundial (World Economic Forum, no título em inglês), evento em Davos, na Suíça, que reúne líderes, presidentes e organizações para debater acerca do cenário da economia mundial, o desenvolvimento de ações para mediar conflitos, assim como questões voltadas à saúde e meio ambiente.
O vídeo que circula nas redes sociais, na verdade, foi criado a partir de uma edição que combina trechos reais de cenas que ocorreram em um do  evento do Fórum e de gravações feitas separadamente por Imani. 
O vídeo de caráter satírico foi manipulado usando alguns momentos de uma filmagem publicada pelo canal do Fórum Econômico Mundial no YouTube no dia 16 de janeiro deste ano, que mostra o discurso de abertura do evento anual. 
Observando o vídeo original, é possível verificar que Damon Imani não aparece na filmagem. Na gravação publicada pela organização estão presentes, de acordo com a ordem do discurso:  Børge Brende, presidente do Fórum; Klaus Schwab, fundador; e Viola Amherd, presidente da Suíça, país que sedia as reuniões do evento.
É possível verificar que o post feito por Damon Imani fez uso das imagens exibidas aos 7 minutos e 4 segundos do vídeo original, assim como nos trechos dos 8 minutos e 32 segundos, 17 minutos e 48 segundos e 27 minutos e 11 segundos.
À esquerda, captura do vídeo satírico. À direita, imagem da gravação original

Sátira

O criador de conteúdos para a internet Damon Imani publicou o vídeo satírico em seu Instagram e no X (antigo Twitter) no dia 16 de janeiro. Na legenda e no comentário da postagem, respectivamente, ele afirma: “Sátira mas verdade”. Em suas redes sociais, é possível observar  outros vídeos satíricos utilizando o contexto do evento do Fórum Econômico Mundial deste ano, como este, que faz uso do mesmo vídeo do discurso de abertura publicado pela organização.
Internacionalmente, diversos veículos verificaram o conteúdo satírico. O jornal online italiano Open, a agência australiana AAP FactCheck, o portal USA Today assim como os sites Lead Stories e Snopes fizeram checagens sobre o vídeo. Pelo Twitter, o criador da sátira afirmou que o USA Today o contatou para falar acerca da montagem.
No último sábado (20), Damon Imani publicou um vídeo em suas redes abordando a montagem em questão. Na gravação, o criador de conteúdo disse ter recebido mensagens de pessoas de todo mundo falando sobre a sátira, alegou que “ninguém gosta dessas pessoas”, se referindo ao Fórum Econômico Mundial, e afirmou que a organização é um “partido comunista”. 
A Lupa apurou que não é a primeira vez que vídeos de Imani se tornam objeto de verificações. Uma publicação feita pelo influenciador em julho de 2023 foi analisada naquele mesmo ano por portais como AP News, PolitiFact, USA Today e Check Your Fact, que classificaram o conteúdo como adulterado. Trata-se de um vídeo que mostra uma conversa entre apresentadoras no programa “The View” com o ex-deputado estadunidense Will Hurd. O criador de conteúdo editou o vídeo, incluindo intervenções suas às falas de Hurd. Nos comentários do post, Imani afirma “paródia, aliás”.
Conteúdo semelhante foi analisado por Estadão Verifica e Aos Fatos.

Leia mais


Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


01.03.2024 - 14h25
Mudanças Climáticas
É falso que o Sol é o principal fator responsável pelo aquecimento global

Post afirma que o aquecimento global está relacionado principalmente com as variações do Sol, e não seria causado prioritariamente pela atividade humana. É falso. Esse entendimento é contrário ao conhecimento científico sobre a origem humana das mudanças climáticas dos últimos anos, conforme atestam os informes do IPCC, da ONU.

Catiane Pereira
01.03.2024 - 13h29
Segurança
É falso que Fernandinho Beira-Mar fugiu de presídio de segurança máxima em Mossoró

Post que circula pelas redes sociais afirma que Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, teria fugido junto com outros detentos da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. É falso. Beira-Mar segue sob a custódia do Sistema Penitenciário Federal.

Catiane Pereira
01.03.2024 - 12h55
Saúde
É falso que Lula ‘liberou’ o aborto em qualquer tempo gestacional no Brasil

Circula pelas redes sociais que o governo Lula teria liberado o aborto no Brasil em qualquer idade gestacional. É falso. O governo não  legalizou o aborto. Uma nota técnica do Ministério da Saúde de 28 de fevereiro revogou uma orientação de 2022, do governo Bolsonaro, que fixava um prazo para os procedimentos. Essa nota foi suspensa em 29 de fevereiro.

Carol Macário
01.03.2024 - 12h47
Política
Soldados queimados em vídeo são turcos, não israelenses mortos pelo Hamas

Post mostra um vídeo com soldados sendo queimados vivos. A legenda que acompanha a publicação diz que são israelenses assassinados pelo Hamas. É falso. O vídeo é antigo e circula desde 2016. O Estado Islâmico assumiu a autoria do ato contra soldados turcos

Maiquel Rosauro
01.03.2024 - 12h16
Política
Nota das Forças Armadas é antiga e trata de protestos em quartéis de 2022

 Circula nas redes o vídeo de uma reportagem sobre uma nota das Forças Armadas que menciona “o que vem acontecendo no Brasil”. A publicação dá a entender que o documento se refere a supostos “descaminhos autocráticos” do poder Judiciário. Falta Contexto. A notícia é de 2022 e foi tirada de contexto.

Gabriela Soares
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital