UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Lula lançou programa contra abuso infantil em Marajó (PA) antes de revogar projeto de Damares
23.02.2024 - 18h09
João Pessoa - PB
Circula nas redes sociais post afirmando que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) revogou o programa "Abrace o Marajó", lançado pela ex-ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos Damares Alves. Publicações compartilhadas nas redes sugerem que o governo atual, ao acabar com o programa, está sendo omisso no combate à exploração sexual de crianças e adolescentes no Arquipélago do Marajó, Pará. Falta contexto.
Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:
GOVERNO LULA O OMISSO A EXPLORAÇÃO INFANTIU Lula revoga 'Programa Abrace o Marajó', criado na gestão"Bolsonaro"...
– Legenda de post que circula no WhatsApp
Falta contexto
O presidente Lula de fato revogou, em setembro de 2023, o programa Abrace o Marajó, da ex-ministra e senadora Damares Alves (Republicanos-DF). Entretanto, posts desinformam ao não explicar que o governo atual lançou um pouco antes da revogação, em maio de 2023, o Programa Cidadania Marajó, projeto similar com uma série de ações para enfrentar situações de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no arquipélago. 
Segundo o atual governo, o programa anterior apresentava diversas fragilidades. Relatório da Controladoria Geral da União (CGU) mostrou que muitas das ações não foram implementadas no prazo pactuado, "dificultando a consecução do objetivo do Programa de ampliar o alcance e o acesso da população marajoara aos direitos individuais, coletivos e sociais", diz. 
A CGU também apontou em seu relatório divergências entre o orçamento previsto e o orçamento executado. Sete projetos não foram implementados no prazo previsto e um apresentou irregularidade, "podendo o prejuízo aos cofres públicos, caso confirmado, chegar a mais de R$2,5 milhões" (página 67).
O Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania publicou nota negando que tenha cancelado as ações, políticas e projetos voltados ao Marajó. "Essa retórica, que visava apenas à estigmatização do povo marajoara, foi justamente o motivo que fez com que o programa anterior fosse descontinuado, sem nenhuma entrega ou ação concreta", diz.
Em sua conta no X, a senadora Damares Alves afirmou que a pandemia da Covid-19 dificultou as ações do programa. "Mas aí veio a pandemia, e praticamente todos os recursos que havíamos previsto para a região foram transferidos para o combate à doença e suas consequências. Ficou essa sensação de missão não cumprida. E que só aumentou quando o Lula e o ministro cancelaram o programa". 
Checagem similar foi produzida por Aos Fatos e UOL Confere.

LEIA MAIS
Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco.
Editado por
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


12.04.2024 - 17h28
Eleições
Musk não entregou aos EUA provas de interferência de Moraes nas eleições

Publicação nas redes sociais alega que Elon Musk entregou às autoridades dos Estados Unidos documentos evidenciando a interferência do ministro Alexandre de Moraes, do STF, nas eleições de 2022. É falso. Não há nenhum registro sobre o fato. Além disso, um especialista em Direito Constitucional afirma que tal ação não teria efeito prático no Brasil.

Maiquel Rosauro
12.04.2024 - 17h02
Política
É falso que Elon Musk conseguiu o impeachment de Alexandre de Moraes

Circula nas redes um vídeo do deputado federal Gustavo Gayer (PL-GO), que estaria comemorando o impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, após o empresário Elon Musk pedir o afastamento do magistrado. É falso. O vídeo mostra Gayer comemorando a aprovação da PEC que limita decisões monocráticas no STF.

Catiane Pereira
12.04.2024 - 16h16
STF
É de 2016 vídeo sobre ação da PF que cita Alexandre de Moraes; caso foi arquivado

Circula nas redes um vídeo que mostra que o nome do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes apareceu em documentos apreendidos pela PF de uma empresa investigada em esquema de fraude. Falta contexto. O vídeo é antigo, de 2016. Pagamentos à firma de Moraes foram para honorários advocatícios. O caso foi arquivado.

Ítalo Rômany
12.04.2024 - 15h13
Política
É falso que Moraes tenha ‘censurado’ o jornalista Augusto Nunes

Circula nas redes sociais um vídeo em que um homem alega que o jornalista Augusto Nunes teria sido censurado pelo Supremo Tribunal Federal em um processo liderado pelo ministro Alexandre de Moraes. É falso. A Suprema Corte negou que exista uma decisão desse gênero em vigor.


Evelyn Fagundes
12.04.2024 - 14h21
Política
É antigo vídeo no qual Cármen Lúcia fala sobre liberdade de expressão

Um vídeo no qual a vice-presidente do TSE, Cármen Lúcia, fala sobre ‘censura’ em uma sessão da corte circula com uma legenda que insinua que ela estaria se posicionando contra o ministro Alexandre de Moraes em sua disputa com o empresário Elon Musk. É falso. O vídeo é de 2022. A sessão do TSE tratou sobre desmonetização de canais no YouTube.

Catiane Pereira
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital