UOL - O melhor conteúdo
Lupa
É falso que lista com 53 nomes seja de crianças desacompanhadas em abrigo na Ulbra, em Canoas
16.05.2024 - 17h15
Rio de Janeiro - RJ
Circula pelas redes sociais uma mensagem que mostra uma lista com mais de 50 nomes, supostamente de menores de idade, que estariam desacompanhadas de seus pais ou responsáveis no Campus da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), na cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul. A lista é falsa. A lista, na realidade, foi produzida por uma igreja evangélica e cita nomes de pessoas acolhidas na instituição, não nomes de crianças sem seus responsáveis.
Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que o conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:
Crianças que estão na Ulbra sem os pais. Se puderem compartilhar
– Mensagem que circula pelas redes sociais
Falso
A lista que circula pelas redes sociais com nomes de crianças supostamente desacompanhadas de seus responsáveis na Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) é falsa. Por meio de busca reversa, foi possível constatar que uma lista semelhante foi publicada por uma igreja evangélica da cidade de Cachoeirinha (RS). A listagem, contudo, diz respeito a pessoas desabrigadas que foram acolhidas na igreja — e não crianças sem seus responsáveis.
Procurada pela Lupa, a Igreja Evangélica Seara confirmou que a lista foi feita pela instituição religiosa e que as pessoas citadas estão sendo atendidas pela Defesa Civil de Cachoeirinha. “Essa informação é falsa, temos apenas 15 crianças que estão com os seus pais. Não temos nenhuma criança sem os seus responsáveis”, ressalta a nota enviada pela igreja.
Além disso, um vídeo publicado em 6 de maio no perfil da Ulbra no Instagram desmente o boato. Na gravação, o Promotor de Justiça da Infância e Juventude de Canoas (RS), João Paulo Fontoura de Medeiros, informa que todas as crianças que estão abrigadas no Campus de Canoas da Ulbra estão seguras e nenhuma delas está desacompanhada.
"Gravo esse vídeo como uma espécie de desabafo para solicitar encarecidamente a todos os meios de comunicação, bem como a todas as pessoas (...) que parem de repassar fake news envolvendo criança e adolescente. Inclusive com listagem, com o nome de crianças que não se sabe nem de onde surgiu", disse o promotor em vídeo disponível na íntegra aqui.
O coordenador da Assessoria de Imprensa do Ministério Público do Rio Grande do Sul, Leandro Belles, assegurou à equipe da Lupa que até a manhã desta quinta-feira (16), não existia nenhuma criança ou adolescente desacompanhados dos pais ou familiares no abrigo da Ulbra, em Canoas.
Conteúdo semelhante foi verificado por Aos Fatos e Boatos.org.

Todos os conteúdos da Lupa são gratuitos, mas precisamos da sua ajuda para seguir dessa forma. Clique aqui para fazer parte do Contexto e apoiar o nosso trabalho contra a desinformação.

Leia também
Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Verificação
Conteúdo de verificação de informações compartilhadas nas redes sociais para mostrar o que é falso.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


19.06.2024 - 12h36
Política
Deputado de PL do Aborto mente sobre venda de fetos para fazer cosméticos

 Em vídeo, o deputado federal Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), que é um dos autores do Projeto de Lei 1904/2024, conhecido como PL do Aborto, afirma que a indústria utiliza fetos humanos na produção de cosméticos. É falso. O deputado utilizou informações falsas para embasar seu argumento.

Gabriela Soares
19.06.2024 - 11h51
Rio Grande do Sul
É falso que barragem rompeu em São Leopoldo, no RS, em maio

Vídeo alega que uma barragem rompeu em São Leopoldo e que prefeituras locais processaram pessoas por alertar contra a catástrofe. É falso. São Leopoldo não possui uma barragem hidrelétrica, mas um sistema de diques. O vídeo mostra um dique que extravasou. A Prefeitura afirma que não processou ninguém sobre avisos quanto às cheias.

Maiquel Rosauro
18.06.2024 - 19h21
Agricultura
Açúcar com fragmentos metálicos é brasileiro, não chinês

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra um pacote de açúcar com peças metálicas sendo atraídas por um imã. Segundo a legenda do post, o açúcar em questão seria um produto importado recentemente da China pelo governo Lula (PT). É falso. O vídeo é antigo. Além disso, o açúcar foi produzido no Brasil, não no exterior.

Evelyn Fagundes
18.06.2024 - 17h59
Política
É falso que Giorgia Meloni se negou a abraçar Lula em reunião do G7; vídeo foi editado

Post exibe vídeo que supostamente mostra a primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, se recusando a abraçar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)  na chegada à cúpula do G7, na Itália. É falso. O vídeo foi editado e omite o momento em que Meloni abraça Lula e em seguida os dois posam para fotos.

Catiane Pereira
18.06.2024 - 17h20
Fraude
Falsa indenização de R$ 200 milhões da Caixa é usada para aplicar golpe

Circula pelas redes sociais a imagem de uma suposta notícia da CNN afirmando que a Caixa Econômica Federal foi condenada a pagar R$ 200 milhões em indenizações por vazamento de dados. A publicação leva o usuário a um site onde ele pode, supostamente, consultar se tem direito à indenização. É falso, como esclareceu a Caixa em nota à Lupa.


Gabriela Soares
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital