UOL - O melhor conteúdo
Lupa
Greve de caminhoneiros: a onda de notícias falsas que dura um ano e pode se tornar realidade
23.04.2019 - 07h01
Rio de Janeiro - RJ
Em 21 de maio completa um ano a greve de caminhoneiros, movimento que fez faltar combustível, alimentos e diversos outros produtos pelo país. É verdade que a paralisação – que ajudou a encolher o crescimento do PIB para 0,2% no segundo trimestre de 2018 –  rendeu algumas conquistas para os que vivem de lá para cá nas estradas. Mas também teve outras consequências. Não só fez com que a Petrobras recuasse em sua política de preços para o diesel, mas também machucou o já então combalido governo de Michel Temer. Além disso, a greve finda em 1º de junho de 2018 inaugurou nas redes sociais uma nova era: o da epidemia de notícias falsas sobre a próxima greve de caminhoneiros – algo que se perpetua até hoje, alarmando a população.
As notícias falsas sobre novas paralisações prolongaram-se ao longo de 2018 e, desde o início do governo de Jair Bolsonaro, proliferam nos celulares e computadores. Estão no WhatsApp e nas redes sociais – no formato de áudio e de vídeo – sempre anunciando greves “para a próxima semana” ou para “o próximo mês”. Foi assim em fevereiro e em março. E, à medida em que a efeméride de um ano da greve real se aproxima, mais desinformação deve se espalhar.
Até aqui, a cada onda de manipulação descarada, fontes do governo e dos vários sindicatos (de caminhoneiros e de distribuidores de derivados de petróleo) desmentem os planos de greve. Mas isso não tem freado a fábrica de falsidades. Menos ainda parado o pânico dos usuários de WhatsApp.
Some-se agora a intenção do governo federal de garantir a independência da Petrobras na definição dos preços dos derivados do petróleo e a tentativa – simultânea – de acalmar os ânimos dos caminhoneiros. O resultado pode ser bombástico.
O pacote anunciado nesta semana mistura um investimento de R$ 2 bilhões na manutenção das estradas com uma linha de crédito de R$ 500 milhões para caminhoneiros. Também aumenta o preço do diesel em R$ 0,10 nas distribuidoras, o que afeta o custo de toda a cadeia de transporte rodoviário e do agronegócio. Enquanto isso, o preço do barril se mantém na faixa dos US$ 70, e o dos fretes, no desequilíbrio entre oferta e procura, segue baixo.
A confusão é campo fértil para boatos. Na manhã de quarta-feira (17), duas postagens que tratavam de uma possível greve de caminhoneiros no Facebook já tinham sido compartilhadas mais de mil vezes. Uma convidava o leitor a saber exatamente “quando os caminhoneiros iam parar”. No texto, no entanto, informava que não havia consenso algum sobre a paralisação. A outra classificava como “esmola” o pacote do governo federal. No texto, a aspa exata era um pouco mais complacente: “É melhor do que nada”.
Em maio do ano passado, os checadores da Agência Lupa padeceram ante a quantidade de notícias falsas a respeito da greve. Havia informações sobre assassinatos de caminhoneiros, conflitos com a Polícia Federal e até greves em outras categorias profissionais. Tudo ao vivo, regado a pânico e com a imediatez do WhatsApp. Para quem atua fora do universo da verificação talvez seja difícil imaginar a complexidade por trás do processo jornalístico de analisar a veracidade de tudo isso – a tempo e a contento. É hora, portanto, de alertar: não compartilhe notícias sem checar.
Este artigo foi publicado pelo site do jornal Folha de S.Paulo no dia 23 de abril de 2019.
Clique aqui para ver como a Lupa faz suas checagens e acessar a política de transparência
A Lupa faz parte do
The trust project
International Fact-Checking Network
A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos.
A Lupa está infringindo esse código? FALE COM A IFCN
Tipo de Conteúdo: Opinião
Conteúdo editorial em que a Lupa ou convidados se posicionam sobre algum fato envolvendo desinformação e educação midiática.
Copyright Lupa. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.

Leia também


11.07.2024 - 18h17
opinião
Alvo de 'Abin paralela', Lupa pede resposta de autoridades sobre espionagem ilegal

A Lupa repudia o uso clandestino de ferramentas operadas pelo Estado brasileiro contra a imprensa e, especificamente, contra a própria Lupa. Ações como essa representam riscos a uma democracia livre e precisam de respostas contundentes das autoridades.

Natália Leal
09.05.2024 - 16h03
Rio Grande do Sul
Como é estar em Porto Alegre e combater fakes em meio ao caos da enchente

Repórter da Lupa relata como é trabalhar com checagem de fatos vivendo em Porto Alegre, cidade que convive com bairros alagados, falta de água potável e com uma enxurrada de desinformação que contribui para o caos.

Maiquel Rosauro
01.11.2023 - 08h00
Coluna
Um ano após Musk, X enfrenta declínio em meio à escalada de fakes e ódio

Em seu primeiro ano à frente do X (antigo Twitter), Elon Musk coleciona fracassos. Há queda em downloads, tempo de uso e valor de mercado. Enquanto isso, cresce a circulação de discurso de ódio, incluindo mensagens racistas, antissemitas e homofóbicas, e da circulação de desinformação e teorias conspiratórias, analisa a colunista Cristina Tardáguila.

Cristina Tardáguila
25.10.2023 - 08h00
Coluna
Israel descreve foto violenta e complica (ainda mais) checagem da guerra

As Forças Armadas Israelenses colocaram os checadores que acompanham a guerra no Oriente Médio em xeque ao postar no X um conteúdo em texto que, aparentemente, não pode ser verificado. O post relata o suposto assassinado de uma mulher grávida e um bebê pelo Hamas. A colunista Cristina Tardáguila conta como foi a busca por evidências sobre o caso.

Cristina Tardáguila
18.10.2023 - 10h00
Coluna
Imagens de horror em Gaza e Israel: como podemos nos proteger?

A violência da guerra entre Israel e Hamas circula em imagens impactantes, especialmente nas redes sociais. A colunista Cristina Tardáguila conversou com especialistas e explica o que podemos fazer para evitar que a exposição a cenas tão brutais afetem a nossa saúde mental.

Cristina Tardáguila
Lupa © 2024 Todos os direitos reservados
Feito por
Dex01
Meza Digital